terça-feira, 28 de outubro de 2014

Fastio

"Fastio". 


Palavra bonita, não? Até outro dia, não a conhecia, tamanho é o vocabulário da língua portuguesa. 


Fastio significa Ausência de apetite; inapetência. Sensação de aborrecimento; tédio.


É assim que eu vejo esse elenco do Vasco; sem apetite. Ninguém quer estragar o plano de levar o clube de volta à série A... mas ninguém está disposto a suar demais para ser campeão. Parece que jogar no Vasco está sendo um martírio, um castigo, uma perda de tempo, e não vêem a hora de esse ano acabar, pegar as tralhas e voltar para seus clubes. A não ser o Guiñazú, esse deve correr com sangue nos olhos até para ir no banheiro mijar!


Isso pode ser medido pelo discurso de Douglas Silva, Joel e 99% do elenco, de que "o que importa é subir", e "levar o Vasco para onde não devia ter saído". Ok, claro que NÃO subir seria uma tragédia, mas é uma VERGONHA o Vasco se contentar em ficar "entre os quatro". Engana-se quem diz que o vasco não "escreve em lugar nenhum" que foi campeão em 2009, oportunidade em que, caímos sim, mas fomos lá e fizemos o dever de um time grande na série B, que é ser campeão com folga.


Agora, parece que subir é o suficiente. Que ter uma folha salarial de dois milhões de reais, mais que o dobro que a Ponte Preta, que lidera a série B, não precisa ser justificado. Tudo bem, é o "futebol".


E por falar em justificar... o que justifica estar até hoje pagando Michel Alves, Nei e Sandro Silva para treinar em São januário? Já faz tempo que era claro que esses jogadores não teriam propostas para sair (como Renato Silva também não teve, mas entrou na justiça), então por que pelo menos não se usa esses jogadores junto do plantel? É para economizar Gatorade, passagem aérea, estadia em hotel??


Esse ano de 2014 está sendo um pesadelo. Ano passado, eu não pensava que cairíamos até a reta final do campeonato... e quando caímos, jamais pensei que estaríamos na série B brigando para "subir" tão somente. Então fico perplexo, preocupado, ao ver jogadores e técnico dizendo, em outras palavras que; Subir já está bom. 


Caímos, jogamos uma série B sempre mal, não revelamos nenhum jogador de base para se aproveitar, apesar de ter começado o campeonato experimentando Marquinhos do Sul e Yago, não definimos um esquema de jogo, criamos alternativas... nem mesmo um presidente escolhemos!


Então estamos chegando no final do ano sem um TIME ( ao contrário de 2009, onde fizemos um time-base com jogadores que mais tarde estariam na conquista da Copa do Brasil), sem revelar nenhuma novidade para 2015 (pelo menos botamos alguns jogos na conta do Jordi, mas muito pouco), com um número enorme de jogadores que figuram no time e que por questões contratuais, não permanecerão em 2015, e sem perspectivas do que vai acontecer na presidência do time.


Ou seja; 2014 vai ser um ano perdido. Em 2015, começaremos com um novo presidente, velhos problemas, e oura vez, correndo para formar um time.

Campeonato brasileiro, 31ª rodada; Vasco 1 x 1 Ponte Preta




São três partidas sem vitória. A principio, preocupante, mas, incrivelmente, os outros dois candidatos, que também disputam as duas vagas restantes, insistem em perder. Sorte do Vasco.



O Vasco fez um bom primeiro tempo, dominou a líder Macaca e merecia ter saído na frente, acabou pecando nas finalizações, perdeu pelo menos uns 04 gols (embora não tenha sido gols feitos), e faltou pouco, muito pouco, para definir logo o placar.



Para a segunda etapa, o panorama não mudou, e logo aos 03 minutos, o Vasco abriu o placar, de forma eletrizante. Tudo levava a crer numa vitória e consequente tranquilidade para o restante da temporada, porem, apenas 03 minutos depois, o Vasco levou o empate.



A partir deste momento, ficou escancarada a fragilidade deste time. Jogadores se perderam completamente em campo e passaram os outros 40 minutos correndo atrás da Ponte Preta. Desfalcado do Douglas, sua única esperança de criação (e de uma possível bola parada), o Vasco simplesmente não conseguiu mais chegar ao gol adversário, apresentando um futebol tenebroso.



Ao final, técnico e jogadores foram fortemente vaiados, com razão, a torcida não suporta mais ver em campo jogadores que parecem não ter compromisso com o Vasco. Após o empate, o time ficou afobado, começou a fazer faltas bobas e desnecessárias e o futebol deixou, mais uma vez, muito a desejar.



O cenário poderia ser de horrores, mas, ainda estamos a 02 pontos do Avaí e a 05 do Ceará. Como o nível do campeonato é baixo, o Atlético Goianiense, que vem em seguida, aparece com 49 pontos, quer dizer, teria que engrenar uma difícil sequencia de vitorias. Apenas alguns detalhes precisam ser observados, neste primeiro momento.

- O numero de vitorias do Vasco é baixo;

- Ainda enfrentaremos nossos 02 candidatos diretos, fora de casa;

- Diante do fraco Paraná, em Curitiba, somente a vitória interessa.



A vaga do Vasco continua garantida, repito, mais pela fragilidade das outras equipes, principalmente as que estão logo atrás. Parece-me que um aproveitamento de 50% garantirá a vaga, ainda que em quarto lugar. Claro amigos, todo cuidado é pouco, Abraços e até sexta-feira.

Por; Nildeval Sten

terça-feira, 21 de outubro de 2014

Campeonato brasileiro, 30ª rodada; Vasco 0 x 2 América-RN


Após perder para o "poderoso' Santa Cruz, adicionamos mais um vexame à nossa crescente lista de vexames, e perdemos de 2x0 pro América. E não é AQUELE América não! ( se bem que, hoje o do RN é melhor do que o RJ!).


O que explica o Vasco perder de um time que briga pra não cair na série B? E mais; perder, jogando mal os 90 minutos, jogando como se fosse o time pequeno, e o América o time grande?


Bem, vamos deixar pessoas de dentro do time explicar:


"Vamos encontrar equipes fechadas. Se a gente ficar atrás e tocando com morosidade, não vamos conseguir vencer. Temos que nos impor e, infelizmente, não temos feito isso. Precisamos melhorar no geral. Não só nos resultados, mas também na postura. Os jogadores experientes têm que assumir a responsabilidade", afirmou o atacante. 

Kleber também ressaltou a dificuldade do Vasco em definir um time titular e um esquema. "Qual é o time do Vasco? Estamos no final do ano e não temos um time. Não encontramos um time ideal. Precisamos melhorar. Temos feito bons jogos em casa, mas fora temos jogado muito mal. O Vasco tem que jogar para frente. Se for para perder jogando para trás, melhor perder jogando para frente", criticou o camisa 30. 

- Kléber


- Acho que por parte da gente é uma vergonha. Tem que colocar a mão na consciência. Num jogo desses eles não podem ter mais vontade do que a gente - disse o zagueiro. 

Douglas ainda ressaltou a superioridade técnica do Vasco sobre o América-RN, mas disse que isso não é o suficiente para vencer os jogos. 

- A gente é melhor tecnicamente, todo mundo sabe, mas só que tecnicamente a gente não ganha jogo. Tem que ter garra, coração, disposição e hoje faltou tudo isso pra gente - finalizou Douglas. 

- Douglas Silva


Não preciso dizer mais nada!

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Campeonato brasileiro, 29ª rodada; Vasco 0 x 1 Santa Cruz



Uma rodada em que tudo o que o torcedor vascaíno tem a comemorar são as derrotas de Avaí e Ceara. Novamente, o Vasco perdeu uma excelente oportunidade de consolidar sua classificação para a elite, quando, poderia abrir preciosos 07 pontos do quinto colocado e somente administrar a classificação no restante do campeonato.



Uma tarefa fácil vai se tornando complicada à medida que a equipe vascaína vai se mostrando frágil e com um futebol sofrível, quando, contra equipes de menor porte, ao invés de entrar logo com um ataque em potencial, prefere nosso técnico escalar um time sempre mais cauteloso, com 02 ou até 03 volantes, claramente, abrindo mão da vitória, por um empate, isso sempre que joga fora.



O Vasco teve a semana inteira para treinar e o que se esperava era pelo menos muita vontade da equipe em buscar os 03 pontos, principalmente ao enfrentar um adversário que tem pouquíssimas chances de classificação a serie A do campeonato brasileiro. Sinceramente, o Vasco poderia já estar classificado com sobras.



Faltando ainda 08 rodadas, o Vasco ainda não definiu sua situação, ao contrario, quando parece engrenar, o time cai de produção e deixa seu torcedor apreensivo. Não resta duvida, o Vasco se encontra no G-4 mais pela fragilidade das outras equipes, que também não conseguem encaixar uma serie de vitorias, do que pelo seu futebol.



Um primeiro tempo irreconhecível da equipe cruzmaltina, que chegou ao gol somente 02 vezes, difícil ver o Santa Cruz dominar os primeiros 45 minutos. Na segunda etapa, houve uma melhora na equipe, que, se acertou em campo, criou, não muitas, porem boas oportunidades, mas que não soube converter em gols. Ao final, era nítida a falta de folego do Santa Cruz, que, sem opção, seus limitados atletas se lançaram ao ataque e fizeram o que parecia uma tarefa impossível aquela altura, proporcionando assim uma vitória que manteve acesa uma esperança mínima de classificação.



Continuo convicto de que o Vasco vai se classificar, não interessando a colocação, mas fica registrado aqui um pouquinho mais da nossa decepção com um time, ou um clube que está jogando mais com o nome e tradição do que propriamente com o futebol.




Próxima parada, América de Natal fora de casa, desta feita, sem tempo para treinar, quem sabe assim, o time se comporte melhor em campo? Abraços e até lá.

Por; Nildeval Sten

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Campeonato brasileiro, 28ª rodada; Vasco 2 x 0 Boa esporte

Mais uma vitória de suma importância, com isso, agora dividimos a liderança com a Ponte Preta, perdendo somente no critério de numero de vitorias.


O Boa Esporte veio para o confronto praticamente com o time reserva, curiosamente, já esperava pela derrota. Mas quem imaginou que seria fácil, se enganou, pois foi um jogo com oportunidades para os 02 lados, inclusive, com menos de 02 minutos, os mineiros tiveram 02 chances claras de abrir o placar, numa delas acertando o travessão.


A velha mania do Vasco de furar o bloqueio de times mais fracos mais uma vez se confirmou, apesar de que, após o susto inicial, o time criou boas oportunidades de gol, mas todas perdidas, 02 delas então, de maneira inacreditável, nos pés do Cleber e do Max Rodrigues, este então, fez uma linda jogada, passando por 02 zagueiros com apenas 01 toque.


O segundo tempo também foi interessante. O Vasco criou mais oportunidades, numa delas, o goleiro mineiro fez um milagre. O jogo porem começou a ser definido somente aos 40 minutos da etapa final. De tanto tentar, o gol acabou vindo num lance de bola parada e que contou com a colaboração geral do setor defensivo da equipe mineira, inclusive o goleiro, que acabou olhando a bola entrar, num lance que poderia ser de fácil defesa.


Ainda deu tempo para o Vasco marcar o segundo gol, após jogada sensacional de Montoya, que, após tocar na trave, sobrou para o oportunista Edmilson definir o placar. Confesso que torço muito por esta dupla, pois acho que os dois, além de ter futebol, se identificam com o Vasco, o que poderá fazer a diferença no plantel vascaíno para a temporada 2015.


O campeonato vai se definindo e o Vasco, errando menos, parece não ter mais tantas dificuldades para se manter no grupo da frente. Ainda faltam 09 rodadas, mas, para os especialistas, aqueles de plantão, com mais 04 vitorias o time consegue a classificação. Se a matemática estiver correta, na pior das hipóteses, ainda faremos 04 jogos em São Januário, portanto, falta muito pouco para pensar em 2015.


Sem relaxar, a equipe terá a semana inteira para treinar e se preparar para a próxima rodada, diante do Santa Cruz, na Arena Pernambuco. Bom lembrar, o Vasco tem uma enorme torcida no Nordeste, portanto, o time não estará desamparado. Abraços e até lá.

Por Nideval Sten

quinta-feira, 9 de outubro de 2014

Campeonato Brasileiro, 27ª rodada; Vasco 1 x 0 Portuguesa



Desta feita o Vasco não bobeou e a vitória reforçou o principal objetivo do time. Mais 03 pontos que serão fundamentais no final do ano.


Não foi aquela apresentação de deixar o torcedor encantado, muito pelo contrario, mas, não esperamos (embora queiramos muito) que o Vasco dê show em campo, somente que ele faça o famoso feijão com arroz e traga os 03 pontos diante de equipes mais fracas.


No jogo de hoje, somente o Vasco jogou. Nas três vezes em que a Lusa foi ao ataque, duas bolas foram desviadas pela defesa vascaína e, na outra, quase que o goleiro Jordi jogou contra o patrimônio, alias, ele andou soltando bolas fáceis durante o jogo, mas sua apresentação não comprometeu.


Como dito anteriormente, o Vasco fez sua parte. Fico triste em ver um time ou um clube tão tradicional do futebol brasileiro, como é o caso da Portuguesa estar no lugar onde se encontra. Não por acaso, a lanterna está de bom tamanho para a Lusa. Enquanto a bola rolou, seus jogadores não apresentaram qualquer reação diante da equipe vascaína. Pelo que se viu, fortíssima candidata ao rebaixamento.


O Vasco fechou a rodada em segundo lugar. No momento, tudo que precisamos é de trabalhar com tranquilidade. Por exemplo, diante do Boa Esporte, em São Januário, não tem como não assinalar os 03 pontos. Chegou o momento em que o campeonato vai se definindo e quem comete menos erros se dá melhor. Na reta final, muitos perdem folego e, aquelas equipes piores, crescem, isto porque, para tentar fugir da degola, usam sua força máxima.


Com apenas 02 pontos nos separando da liderança e a 04 do quinto colocado, somente uma catástrofe poderá nos tirar o maior objetivo da temporada. Abraços e até sexta-feira (um dia horrível para o futebol, mas que temos que engolir).

Por Nildeval Sten

domingo, 5 de outubro de 2014

Campeonato brasileiro, 26ª rodada: Vasco 2 x 2 Bragantino



Empate com sabor de derrota para o Bragantino, que merecia sim, sair de São Januário com os 03 pontos. Difícil entender um Bragantino que consegue abrir 02 gols de vantagem, e toma o empate nos acréscimos, e um Vasco que ganha do então líder com folga, 03 dias antes, e busca no desespero um empate diante de uma equipe que luta para não cair.



Mais uma vez, o Vasco mostrou a velha dificuldade de superar uma equipe mais fraca, deixando o seu torcedor novamente apreensivo. Tudo estava a favor, mas, ao final, mais 02 pontos foram desperdiçados. Não tem como negar, as partidas finais ainda poderão nos trazer surpresas.



O Vasco começou bem a partida, e, nas 02 etapas criou varias chances, foram chutes de fora da área, bolas perigosas, e enquanto teve folego, o Vasco dominou completamente a partida, acontece porem, que a bola insistia em não entrar. Numa bobeada geral da defesa, o Bragantino abriu o placar, e passou a jogar no contra-ataque. O Vasco estava bem e parecia virar fácil.



Veio a segunda etapa, e num contra-ataque, o Bragantino chegou ao segundo gol e pareceu dar aquela tranquilidade a sua equipe. Do lado de fora, o técnico PC Gusmão mostrava nos dedos quantos minutos faltavam para o final da partida.



O juiz deu 05 minutos de acréscimo. Aos 46, o que parecia improvável, aconteceu, e o Vasco diminuiu. Sem outra opção, e na base do desespero, o Vasco buscou e conseguiu o que parecia totalmente impossível, um empate que, na verdade, castigou um Bragantino valente e que merecia sair com a vitória. Coisas do futebol...





O sofrimento vai até as rodadas finais, não se iluda. O Vasco, em terceiro lugar, está a 02 pontos do líder, e a 02 do quinto colocado, quer dizer, em apenas 01 rodada, o Vasco pode ficar em primeiro, como em quinto. Portanto, tudo que temos que comemorar, por enquanto, é a possível ascensão para a elite do futebol brasileiro. Apesar de tudo, manter a esperança. Abraços e até terça-feira.

Por: Nildeval Sten

sexta-feira, 3 de outubro de 2014

Camisa bonita, Armandinho!



Ontem, 2/10, pela primeira vez desde 2009, o Vasco vestiu uma camisa diferente. Agora, como todos sabem, o clube é patrocinado ( se bem que no casso de material esportivo, o melhor termo seria "apoiado", já que "patrocínio" é meramente financeiro) pela nossa velha conhecida, UMBRO.

Não é preciso nem dizer que, depois dos últimos fiascos da Penalty, culminando até mesmo com site contando as horas para o fim do contrato,  a expectativa pelo novo manto desde que foi anunciada o acordo com a DASS era enorme. Ainda mais porque, ao contrário do que costuma acontecer, não vazou uma mísera foto na internet para matar a curiosidade. É uma estratégia velha e eficaz de aumentar o interesse no produto, esconde-lo e apenas mostrar pequenas informações aqui e ali, é o chamado "teasing", em inglês "Provocar".

Porém, o teasing funciona muito bem quando o produto em questão é realmente inovador, diferente, especial.... e essas camisas não o são. Apesar de estarmos falando de uma empresa tradicionalmente conservadora em suas camisas, eu pensei que teríamos algo novo, como a empresa quis nos fazer acreditar, e de "novo" só mesmo a gola da camisa preta, que é uma exclusividade do Vasco dentro da Umbro. Camisa "taylored by Umbro" já sabia mesmo que não vinha, é uma linha do ano passado usada em Atlético-PR e Seleção Peruana por exemplo, mas que aqui só chegaria como camisa 3, e isto só em 2015.

Ainda assim, é um uniforme bonito, que segue uma receita tradicional de fazer detalhes simples e bonitos, nada espalhafatoso como, por exemplo, aquela camisa 3 do urubu. Aliás, "camisa 3" no Vasco só de goleiro! E mesmo assim, porque foi apenas preciso trocar a cor dela, porque as três são no mesmo padrão. 

Mas vamos falar de uma de cada vez:

UMBRO: Coquetel de lancamento dos novos uniformes


Dizem que a simplicidade é o último degrau de sofisticação. Se for isso, essa camisa  branca do Vasco é a mais sofisticada do futebol brasileiro, porque realmente não se percebe um detalhe qualquer nela à primeira vista. Mas não é bem assim, os detalhes estão ali, escondidos:

Na frente, o detalhe maior é mesmo a gola exclusiva do Vasco. Simples e bonita, e um tecido especial nos ombros. Por dentro da gola, um texto explicando os detalhes da "resposta histórica".








Nas costas da camisa se vê uma Cruz de Cristo, encimada pelas oito estrelas que já nos acostumamos, e num escudo, um símbolo que representa a história de inclusão do Vasco. As mangas apresentam um tecido estampadado com a Cruz Pátea na parte interior, e um tecido com respiração na parte de inferior.

Diferentemente do habitual, a camisa branca, desta vez, leva a numeração em preto, enquanto a preta, em no costumeiro vermelho:

UMBRO: Coquetel de lancamento dos novos uniformes

A camisa preta muda pouco. A gola é polo, igual à algumas adotadas pela Umbro em clubes europeus, e de muito bom gosto:



A manga é maior do que na branca:









A logomarca da Umbro é bordada, assim como a cruz vascaína ( idêntica ao que a Penalty fazia, o que mostra uma determinação do próprio clube), e a inscrição "taylored by Umbro" na maga esquerda. (Taylored mesmo não é, pois nada remete à uma camisa vintage, isso é apenas uma propaganda da marca), mas não a faixa transversal, coisa que a própria Umbro fazia na sua primeira passagem. (embora não na primeira camisa fornecida, assim como hoje)


Completam o uniforme, shorts e meiões extremamente simples:

UMBRO: Coquetel de lancamento dos novos uniformes



Nas camisas de goleiro, dá pra ver que o pessoal de design da Umbro trabalhou "MUITO". Pegou a camisa 1 e mandou fazer de outras cores.

A "celeste" ( é Celeste mesmo. Se clareasse mais um tiquinho de nada, virava branco!)

UMBRO: Coquetel de lancamento dos novos uniformes

A "lusa":

UMBRO: Coquetel de lancamento dos novos uniformes


E a verde, que é nada além da lusa com as cores invertidas:

UMBRO: Coquetel de lancamento dos novos uniformes


O restante da linha inclui, claro, uniforme de treino, infantil e femino...




... e esta composição que, imagino, será de viagem da delegação e comissão técnica:

UMBRO: Coquetel de lancamento dos novos uniformes




De uma maneira geral, o uniforme ficou bom. Muitíssimo melhor que aquela porcaria que vínhamos usando. Em nada me surpreende a falta de maiores novidades, já que é sempre assim quando uma empresa nova entra no meio do ano e com o campeonato correndo. Mesmo assim,de uma maneira simples e elegante, a Umbro fez um belo uniforme, que é aprovado por quase 80% da torcida que votou em enquete na NetVasco. Eu gostei bastante, acho que está à altura do Vasco, parece-me de um material excelente e de bom caimento. Torço para que caia nas graças da torcida que estava ávida por um uniforme decente, até porque, é mais grana no caixa do clube.

Embora a Penalty tenha feito alguns uniformes de bastante sucesso, como a camisa templária de 20010, de 2013, a camisa "Raízes" (aquela do mapa!), a da luta contra o racismo, e mesmo algumas de jogo como a de 2011 ( da gola retrô) e 2012 (apresentada na central do Brasil, do trem-bala da colina), as de goleiro em homenagem à Portugal e também a amarela, que sempre via muitas em São Januário... a relação não podia ter terminado pior. Desde que assinou com o São Paulo, a Penalty relegou o Vasco ao segundo escalão de seu portfólio, fez camisas muito feias (com raras exceções), e de má qualidade desde que chegou. Não é raro encontrar gente reclamando que a sua camisa da Penalty está desfiando, rasgando ou descolando em alguma parte, e enquanto isso, outras como as da própria Umbro que saiu daqui em 2006, permaneciam íntegras.

O novo manto já estreia hoje, conta o Bragantino. 


segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Campeonato brasileiro, 25ª rodada; Vasco 2 x 0 Joinville

"Quando o Vasco joga como Vasco, dificilmente perde!"

A frase bastante conhecida, é do gênio da grande área, e uma de minhas favoritas sobre o clube porque captura em poucas palavras, a grandeza deste clube.

Jogamos como Vasco! Simples assim! 

- Gabriel

A Palavra do Nildeval:

Jogo tranquilo, vitória convincente. Podem contar nos dedos as oportunidades que o Joinville chegou ao gol do Vasco, com perigo, então…



Jogando serio e como Vasco, vencemos mais uma vez o então líder do campeonato. O mais importante é não perder a ponta da tabela. A grande dificuldade do Vasco tem sido os times de menor expressão, talvez por relaxar em campo. Quando o Ceara liderava o certamente, o Vasco também venceu fácil.



O Vasco começou elétrico e com menos de 02 minutos já chegava com perigo a meta adversaria. De tanto insistir, com um time bem armado em campo, aos 32 minutos, finalmente conseguiu furar o forte bloqueio adversário. A vantagem vascaína era tanta que o adversário não conseguia criar oportunidades de gol.



Jogando para um publico em torno de oito mil pessoas (publico fraco, apesar de sexta-feira), o Vasco voltou bem para o segundo tempo e nem precisou forçar muito a barra para chegar ao segundo gol, que deu mais tranquilidade para a equipe, que já dominava completamente o jogo.



Com mais uma vitória, o Vasco vai consolidando sua classificação e até deixando seu torcedor um pouco mais tranquilo, isto porque o Ceara, quinto colocado, perdeu para a Ponte Preta e o Vasco acabou abrindo 04 pontos de vantagem. O ideal agora seria ganhar mais umas 02 ou 03 partidas, para finalmente não deixar qualquer duvida. Mas vamos aguardar, o time oscila muito e quem ainda tem chances, vai brigar enquanto puder. Na próxima rodada, em mais um dia atípico (sexta-feira), uma parada considerada fácil, pois, o Bragantino, vem apresentando uma campanha fraca. Este é o momento do Vasco.





Grande abraço.

quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Ah, é?

Ontem um amigo me mandou uma mensagem pelo Whatsapp, dizendo : " Mandamos o Adílson embora, e contratamos um muito pior!"

Minha resposta:

"Ah é?!

Então vejamos: 

Joel chegou à tempo de comandar a equipe contra o Luverdense, mas não contra o América-MG. Desde então, ganhamos duas e empatamos três. Estamos invictos, pois.

Ok, estar invicto na série B não quer dizer merda nenhuma, mas quantas partidas o Adílson conseguiu perder? 3 só na série B.

Ou seja: Joel tem 60% de aproveitamento. Adílson tinha 64 quando deixou o comando."

Ou seja: Meu amigo até estava certo...mas Adílson tinha 9 meses de trabalho quando saiu, e Joel, seis treinos em 20 dias numa maratona de jogos. Hoje, foi o sétimo treino.Deveria ter sido,mas preferiram poupar os jogadores devido à maratona de jogos!

Em sete treinos, não dá pra conhecer três dúzias de jogadores, nem corrigir o que é que eles já estivessem fazendo errado.

Então... calma lá! Ninguém está satisfeito com esses empates. Somos um time grande e pensamos como um time grande, daí que não concebemos o Vasco fora do G-4 da série B....

...diabos! não concebemos o Vasco em outro lugar que não seja o primeiro!


Contra o Sampaio Corrêa, foi um autêntico jogo de várzea; teve pênalti não marcado pro Vasco, que poderia nos dar a liderança e o jogo seria outra coisa, teve pênalti não marcado pra eles, teve gol do Vasco legal que os maranhenses insistiam em dizer que foi ilegal, treinador suspenso se comunicando com auxiliar por rádio, jogador peitando juiz... e daí ele deu CINCO minutos de acréscimo, e tomamos o empate (injusto) com uma infelicidade do Martín Silva que deu rebote num chute que desviou na zaga. 

Ou seja; um carnaval, que só se vê na série B do brasileirão!

Tivéssemos ganho,estaríamos cravados no meio do G4. 

Mas tenho certeza que vamos chegar lá. Eu posso ser bobo, mas acho que em seis treinos, o Joel conseguiu melhorar o Vasco, que já não é tão perdido. Falta muito para chamarmos esse apanhado de TIME, mas não duvido que uma hora vai acontecer. Até agora não aconteceu, e estamos na cola do G4! 

A verdade é que não estou preocupado. O pior, que era a transição do Adílson pro Joel, já passou, e passamos sem perder, que era o importante. Uma hora o Vasco decola e ganha essa série B.

Para isso, nada melhor que a torcida lotar o caldeirão amanhã e vencemos o JEC ;)