segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Campeonato brasileiro, 21ª rodada; Vasco 1 x 1 Atlético-GO

Mais uma chance de ouro desperdiçada pela equipe cruz-maltina. Modificado após a ultima vitória, com formação diferente, e menos ousada, estaria o Vasco com a cara do Papai Joel tão cedo? A preocupação em não levar gols foi latente, mas contra o Atlético Goianiense? Fiquemos de olho neste Vasco...




Sem o mando de campo, mas jogando como se estivesse em casa, e com a torcida toda a favor, bem que o Vasco poderia levar mais 03 pontos para ir consolidando sua classificação. Hoje, estamos a 02 pontos do primeiro colocado e somente 01 pontinho a frente do quinto colocado. Contra o fraquíssimo Oeste, a vitória tem que ser certa.



Todos querem ganhar do Vasco e a proposta do Atlético foi a mesma usada pelos adversários da segundona, qual seja, armar aquela retranca e tentar a todo custo o contra ataque. Bastava o Vasco pegar na bola, e 02 ou 03 jogadores adversários davam o combate. Apenas aos 35 da primeira etapa, o Atlético incomodou, numa cabeçada a queima roupa defendida pelo Martin Silva.



O Vasco precisou de quase 40 minutos para abrir o placar num lindo gol do Edmilson, que estava sendo vaiado pela torcida vascaína, e que acabou aproveitando a oportunidade que teve, numa atuação bem segura. O problema do Vasco hoje foi ter voltado para o segundo tempo completamente desligado. O time perdeu a concentração e acabou se entregando ao pouco criativo, mas muito esforçado time de Goiás.



Lutando contra o rebaixamento, o Atlético buscou o empate desesperadamente, repondo a bola de maneira rápida e levando os marcadores vascaínos à loucura, tanto que foram 03 cartões amarelos aos nossos jogadores. Foi ai que percebemos a primeira preocupação do Vasco, ou do Joel, armar bem a defesa, não levar gols e, se houver folego, buscar a vitória nos momentos finais. Ainda é cedo, posso estar exagerando, mas nosso sofrimento possivelmente vai até as rodadas finais.



Forte abraço e até terça-feira. Jogo na Arena Amazônia, campo neutro.

Por: Nildeval Sten

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Campeonato brasileiro, 20ª rodada; Vasco 2 x 0 Luverdense

Amigos, desculpem a demora em postar este!

Não vamos cometer a loucura de dizer que o Joel, em dois treinos, "mudou" o Vasco. 

Mas, algo está diferente. O clima em SJ melhorou, claro, depois de duas vitórias, e parte disso vem da figura do "Papai". No mínimo, aquela "névoa" que pairava sobre os jogadores deu uma maneirada, e estes estão conseguindo jogar melhor, mais soltos. Só um time confiante dá tantas "canetas" como o Vasco deu contra o Luverdense, jogando de maneira imponente em seu campo, como deveria ser.

Joel foi político ao "dividir" o mérito com Adílson Batista, uma atitude bonita, mas a verdade é que, embora não duvide que para ALGO serviu o trabalho deste, em nove meses de Vasco, eu só vi o time jogar e vencer com tranquilidade uma vez, e Joel já fez isso no primeiro jogo dele.

Mais importante (?) que a vitória, foi ver, após 14 anos, a meta Vascaína defendida por uma cria de São Januário. Jordi, de maneira tardia, aos 21 anos, estreou na meta cruz-maltina.E a verdade, é que não deu para avalia-lo, uma vez que o adversário praticamente não chutou à gol, mas no pouco que apareceu, demonstrou mais confiança que Diogo Silva jamais fez. A cada toque do arqueiro, a torcida do Vasco, como fazia com Martín Silva, aplaudia-o, numa provocação deliberada e ao meu ver, "justa", à Diogo Silva.

Digo "justa" porque Diogo não tem "culpa" de ser ruim. A culpa é de quem "banca" ele no time. 

Uns dizem que Joel "jogou para a torcida", mas para mim, ele sacou do time uma peça que transmitia insegurança. Jordi dificilmente é um goleiro "pior' que Diogo... se é melhor, o tempo dirá, mas no mínimo ele não traz ao campo aquela carga emocional ruim que Diogo trazia. Martin Silva, que constantemente desfalca o Vasco para jogar pelo Uruguai (quando não é algum problema pessoal), certamente dará novas oportunidades do "garoto" mostrar seu valor.

E é assim, com um clima mais calmo, um time mais leve, e "pagando dez", que a Nau vascaína singra sob o comando de Joel. Nos resta torcer por mares calmos e ventos fortes.


A palavra do Nildeval:




Simples, fácil, como deveria ser todas as vezes que o Vasco jogasse em São Januario, principalmente enfrentando equipes mais fracas. Nem foi preciso muito esforço.

Um jogo em que o Vasco dominou completamente, inclusive, na segunda etapa, o goleiro Jordi praticamente não pegou na bola. Jogando o feijão com arroz, o Vasco conseguirá facilmente se manter entre os 04 primeiros, aliás, para não passar mais nenhum susto, basta vencer uns 03 ou 04 jogos na sequencia, para manter uma boa distancia do quinto colocado. Atualmente, 04 pontos nos separam da Ponte Preta.

Motivados pela estreia do Papai Joel, os jogadores quiseram mostrar serviço e tiveram atitude em campo. Notem que em momento algum o time perdeu a concentração. Foram 02 gols, 01 em cada etapa, mas poderia ser mais, coisa que não houve necessidade, já que os jogadores administraram boa parte do tempo, diante de um adversário que não mostrou qualquer perigo.

Uma oportunidade para nosso treinador implantar seu sistema de trabalho, bem como aproveitar jogadores que estavam esquecidos pelo técnico anterior. Ontem, a grande novidade foi o goleiro. Houve também uma tremenda “sacanagem” por parte do nosso “teacher” em colocar o Dakson faltando apenas 02 minutos para o final da partida.

No mais, nada de novo, o Vasco vai cumprindo seu papel. O Douglas, quando quer, joga muito; o Max Rodrigues caiu como uma luva neste time do Vasco; o zagueiro artilheiro Rodrigo, tem feito gols importantes e até decisivos. o Guinhazu é o pulmão do time, a bola passa, o jogador NÃO; um pouco apagado e ainda muito tímido é o artilheiro Cleber, tem bola, mas precisa ser melhor trabalhado, coisa que o Joel certamente já reparou. Por falar em Joel Santana, o que será que ele tanto anota naquela prancheta?

Um grande abraço e até o final de semana.







segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Campeonato brasileiro, 19ª rodada: Vasco 3 x 2 América-MG



AMERICA 2 X 3 VASCO



Sofrida, difícil, dramática, pode classificar a vitoria como quiser, importante é que ela veio, num dos momentos mais conturbados do Vasco nos últimos anos. Derrota hoje só iria piorar as coisas. Papai Joel vai pegar o time no G-4 e terá o trabalho de mantê-lo.


A capacidade do Vasco de levar gols no inicio ou no fim das partidas tem deixado o torcedor sempre desconfiado. Bem verdade que o América, até então, como mandante, havia perdido somente para o Náutico, e sim, tenho vergonha de falar, mas era o favorito. Acontece que o Vasco teima em levar gol relâmpago e, ainda bem, diferente das partidas anteriores, equilibrou, jogou muito bem a primeira etapa, empatou logo em seguida, e virou, numa bobeada sem limites da defesa americana.


O Vasco ainda teve tudo para matar o jogo na primeira etapa, mas, incrivelmente, nossa defesa levou uma bola nas costas e o gorducho Obina, de quebra, além dos zagueiros, ainda tirou o atabalhoado Diogo Silva da jogada, num lance em que ele se precipitou ao sair e errar o tempo da bola. Se você notar, verá que no lance que originou o gol do América, o Max Rodrigues perdeu uma bola facílima no ataque vascaino, quando tinha o domínio pleno dela. Pois é, de repente, foi o América que teve mais 02 chances claras de matar o jogo, e também não aproveitou.


Para a segunda etapa, ficou a preocupação do torcedor sobre como se comportaria o time vascaíno. O Vasco surpreendeu e dominou o jogo, entretanto, pecou muito no quesito finalização, basta observar o gol feito perdido pelo Pedro Ken. Com isso, a virada vascaína, teria que vir mesmo na bola parada e, por sinal, com muita, mas muita sorte, numa falta cobrada pelo zagueiro Rodrigo, que, caprichosamente, desviou na barreira, para vencer o goleiro americano.


Diferentemente de varias partidas anteriores, em que jogava bem melhor, mas não vencia, hoje, voltamos ao G-4 (o atual líder tem apenas 01 pontinho a mais), e a tarefa inicial, daqui pra frente, é manter a colocação, se possível, começar a se distanciar, já na próxima rodada do meio de semana, contra a surpresa do campeonato, o Luverdense, que alias, venceu o Vasco no jogo de ida. Não queremos jogadas bonitas, dribles desconcertantes, apenas o G-4. Abraços e até terça-feira.

sexta-feira, 5 de setembro de 2014

Joel is béqui!


Tú tá de brincaition with me , cara?! 

Joel Santana is béqui on the Vasco da Gama! 

O ex-ex treinador, aparentemente vai dar um "time" na carreira de garoto-propaganda e tentar tirar o Vasco dessa "situeition".

E olha que ele fez o maior esforço para não entregar em!

- Me encontrei com ele há pouco, mas por enquanto não posso contar muitos detalhes. Quem está com a responsabilidade é o presidente. Não posso falar nada até o dia da minha apresentação 

Papai Joel é um dos treinadores mais carismáticos e vitoriosos do Brasil. No Vasco, inclusive. É bem verdade que, desde que saiu do Flamengo, foi para a África e voltou com seu inglês refinado, teve más passagens por Cruzeiro e Bahia, ano passado, mas fez bom trabalho no Botafogo. Naquela época, inclusive, eu comentei com o time de merda que o Botafogo tinha, era uma sacanagem despedir o Joel.

Mas, já se vai um ano desde a passagem no Bahia, e alguns comerciais de head & shoulders depois, recebe a oportunidade de, novamente, treinar o Vasco. E que situação melhor para o "bombeiro" do que essa de apagar o "fogo" que vive São Januário?

As opções não eram muitas. Enderson deu a palavra e saiu, um treinador sem "nome" não seria nunca aprovado pelo monte de "Pajés" que mandam nessa porra no Vasco ultimamente, Gílson Kleina já está no Bahia, e Renight Gaúcho, é Renight Gaúcho.

Portanto, agora nos resta torcer pelo Natalino fazer um bom trabalho de "bombeiro" que lhe é habitual, fazer o Vasco jogar simples e vencer. Eu acredito que ele é capaz de levar o Vasco de volta à série A. Se você me perguntar se o Joel era a melhor opção possível para o Vasco, eu vou te dizer que; "you can't always get what you want. But if you try, sometimes, you just might find, you get what you need".

Uma coisa te garanto; tem minha torcida. Pode não ser nenhum gênio, pode estar desatualizado ( mas afinal não tem nenhum Guardiola na série B), mas é sempre bom torcer por alguém que você gosta, admira, respeita.

Agora, uma coisa eu quero saber: 200 mil num contrato de 1 ano?!

Porra! É por isso que o Vasco tá nessa merda, as pessoas não tem responsabilidade pelo que fazem! Tanto se falou em 150 mil e contrato até Dezembro, e nada disso se confirmou!

Contrato de um ano! Ou seja; passa para a próxima diretoria a banana! E se ele cumprir até o final, chega até a metade da temporada seguinte e ficamos sem técnico?! Nãaaaaaaooo, ele sai antes disso e recebe mais meia dúzia de meses de rescisão contratual.


quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Então enfia e roda!

Enderson Moreira estava apalavrado com o Vasco. O clube o esperava em Natal para acompanhar a partida de ontem, mas, de maneira surpreendente, o Santos demitiu Oswaldo de Oliveira e foi atrás dele.

Seu empresário, sendo mercenário profissional, foi ao Vasco e pediu mundos e fundos; salário maior, tempo de contrato maior ( ou seja; multa rescisória maior quando saísse), luvas, o cú da mãe...

E o Vasco, muito acertadamente, recusou entrar em leilão por alguém que ainda tem muito arroz e feijão para comer. Ou seja; mandou-lhe enfiar a proposta do Santos no cú e rodar. ( pelo menos é o que eu diria se fosse o Rodrigo Caetano) Palmas pro Vasco.

Todos tem o direito de buscar a melhor proposta profissional, mas a palavra de um homem não tem valor. Treinar o Vasco da Gama, ao contrário do que a imprensa gosta de dizer, é um PRIVILÉGIO e não um fardo, portanto... tchau e bênção!

O problema é que; Jorge Luiz não passou confiança. Ontem o Vasco de Jorge Luiz foi igual ao do Adílson; burro, sem criatividade, errando passes de dois metros, falhando copiosamente na defesa...

Como o Kléber falou, não adianta vir treinador nenhum, se o que a equipe treina a semana inteira, não for feito. Falta sim comprometimento, ou ao menos, vontade, desejo, TESÃO (falando em português claro) do cara vestir o manto do Vasco e fazer a diferença. Noção de o quê essa camisa significa.

Muitos criticaram o zagueiro Rodrigo por dizer que o goleiro do ABC não merecia a camisa do Vasco.... e eu digo que vão às favas! Não está na hora de bons-moços, troca de camisa, de gentilezas... está na hora de representar a camisa, soltar o verbo e dar esporro mesmo. 

Aliás, por falar em Rodrigo... quem foi que decidiu inverter a posição dele na zaga? Jogando na sobra, foi o melhor jogador do Vasco no primeiro semestre. Agora, inventaram esse horroroso Douglas Silva que falha todo jogo ( e ainda perde gol, como o de ontem) e é lento como um camburão ao lado do Rodrigo, fazendo uma zaga lentíssima, que demora horrores a se recompor e toma bolas enfiadas à torto e à direito!

E o Marlon? a contratação não discuto, que foi o melhor que se podia fazer (terceiro melhor LE) do campeonato de 2013, mas já ficou claro que esse garoto é jogador de time pequeno. Não corresponde com camisas pesadas.

E o Diego Renan? Deus errou com esse rapaz... é um bom lateral esquerdo destro, e um péssimo lateral direito destro...

Dakson seria um craque no ICASA, mas no Vasco...

Douglas quando quer, é um gênio. Num time arrumado pode desequilibrar, mas aqui ele é que fica desequilibrado. Perdeu um pênalti Domingo, e a cabeça ontem.

Kléber, aos 30 anos, está tendo que aprender a jogar de centro-avante,sendo que foi segundo atacante a vida toda.

Thalles aparece em todo lugar QUE NÃO DEVIA, mas não dentro da área....

E o melhor jogador de ontem foi DIGO SILVA!!!!! A quem ponto chegamos?!?!?! A bola que ele pegou com a mão fora da área, mostra que esse garoto não bate bem das ideias, mas um minuto antes, ele salvou o Vasco DUAS vezes em enfiadas de bola nas costas da zaga.

Ou seja; quem for que seja contratado... tem que, primeiro, colocar a cabeça dessa rapaziada no lugar. Identificar quem está de má vontade  fase, e pôr em campo quem queira jogar. Está na hora de ser bem franco, entrar no vestiário e dizer em português claro; Quem está a fim, vem pra esse lado. Quem não está, quem quer o colo da mãe, vai pro outro lado.

E claro; fazer o simples. um grande problema do Adilson era o de inventar. Está na hora de imitar o Flamengo; carregar cada um o seu saquinho de cimento nas costas, fazer o básico ( até porque não há tempo para revolucionar o futebol) e a qualidade do elenco, que é maior do que o dos outros, vai prevalecer. 

Parece que não se entende isso; O Vasco, bem treinado, jogando com gana, não cometendo erros bisonhos, ganha, porque é melhor e pronto. O problema é que perdemos para nós mesmos, todo time sabe que pode pegar o Vasco, fazer uma retranca, e depois de 15 minutos a torcida vai atrapalhar e não ajudar.

Acho que 10 meses é suficiente para se julgar um trabalho, e o do Adílson pecou pela quantidade enorme de empates e falta de evolução, mas espero que o próximo fique até o final e não invente moda. Volto a dizer; Não tenho nada contra o Adilson Batista, todos elogiam muito o homem, mas ás vezes, a "coisa" não anda. A imprensa gosta de criticar a troca de treinador, mas... se trocar de treinador não desse certo, o Flamengo não tinha saído do último para o nono lugar depois que o Luxa assumiu. 

Isso acontece porque os dirigentes do futebol brasileiro não sabem nem mesmo o que querem dos seus treinadores. Todo time precisa de uma "alma", uma característica; jogar no contra-ataque, de maneira ofensiva, na velocidade, posse de bola... e aqui, os dirigentes contratam com UMA missão; vencer. Não importa como. Pode ser 1x0 com gol de coxa na "bacia das almas", dane-se. Ninguém avalia os treinadores com base nas suas características; se o cara gosta de jogador de nome, de atleta da base, jogar o básico, jogar para frente....e para mim, dado o elenco do Vasco, e o que temos que fazer, que é fazer o básico e ficar entre os 4 da série B... Joel dá conta do recado.

Em tempo, os dirigentes também não sabem contratar com lógica. Se eu vou montar uma equipe no 442, preciso de X jogadores de meio campo,sendo Y de armadores e Z de volantes. Se jogarei no 443, essas variáveis mudam. Aqui, chega a pré-temporada, os times se "reforçam" (no sentido figurado) como podem, com o que há disponível, e vamos-que-vamos. Por isso o Vasco tem jogador de mais, e opções de menos, por isso que Adílson raramente repetia o mesmo time.

Não me atrevo à escalar o "Vasco ideal" porque isso não existe. Não adianta cravar o "fulano" na armação , se o "fulano" esta jogando mal. Mas acho que, e primeiro lugar, Maxi Rodriguez não pode ser reserva desse time. Em segundo, Montoya, se jogar, não pode jogar fora de sua posição. Ontem ele foi simplesmente bisonho no lance do primeiro gol do ABC. E em terceiro; time se monta de trás pra frente; se o Vasco parar de tomar gol idiota em falhas de defesa e individuais, no mínimo, vai parar de perder.


Considerações aleatórias;

- Reclamam que o Vasco é um time lento, mas o Barcelona era rápido? Queremos jogar bola, ou correr os 100m rasos? O problema não é o Vasco ser lento, é não saber O QUE FAZER com a bola! O time pode ser lento o quanto quiser, mas se manter a posse de bola e souber aonde a enfiar para criar situações de gol, ganha. Já um time repleto de corredores que não sabem o que fazer...não. É preciso equilíbrio, não precisa abrir mão de Fabrício nem de Guiñazú, muito menos de Douglas que é o único meia cerebral do Vasco, é preciso sim que o time jogue de acordo com o que se tem.

- Nessa hora até o Valdir Bigode 'aceita" ser treinador do Vasco. É um tal de vender o peixe que meu Deus do céu...

- Tratam demissão de técnico como se fosse uma coisa ruim (para eles)... ruim porquê? o que tem de ruim entrar num emprego, faze-lo, não agradar o patrão, ser despedido, receber (ainda que atrasado) a rescisão salarial, e amanhã ou depois acertar com outro time e repetir o processo? tem treinador que já poderia deixar de trabalhar a muito tempo, só recebendo rescisões de times que já deixou a vários anos....

Eu acho que é sim, uma falta de planejamento, trocar de treinador duas, três vezes por ano. Até mesmo uma vez. Se trocou, é porque algo deu errado, e aí todo mundo tem que responder; o treinador, e quem montou o elenco.

- Ambiente político atrapalha o time? Porquê? Candidato à presidência entra em campo? tomamos CINCO do Avaí porque tem meia duzia de candidatos fazendo pressão do lado de fora? Porra, peraí! Eu acredito que não faça bem, até que atrapalhe, mas A ESTE PONTO? Quer dizer; tomamos de cinco, porque o ambiente político é ruim? Pffffff

- Jordi, 21 anos e ZERO partidas no time profissional.... Ou esse cara é MUITO RUIM, ou o trabalho de inserção de jogadores da base no time profissional do Vasco é uma BOSTA. Passou 2013 todo no banco de Michel Alvez, Diogo Silva... quando poderia no mínimo, ter estreado. Pelo menos, emprestado à um time menor e adquirir experiência.

- Me diga aí; você preferia passar do ABC e tomar uma surra do Cruzeiro?

- os "finalistas" da corrida pelo cargo de técnico do Vasco são; Joel e Renight Gaúcho. Sempre a mesma turma!

Copa do Brasil 4ª fase, segundo jogo; Vascp 1 x 2 ABC-RN

Responda-me rápido. O que é pior. Ser eliminado pelo modesto time do ABC ou passar de fase e ser humilhado pelo Cruzeiro?


Não adianta nada usar o espaço para falar o obvio, tipo: a derrota agravou a crise; pior time de todos os tempos; caldeirão em chamas; time de segunda... Vamos deixar isso para a imprensa e os entendidos de plantão.


A derrota, além de fazer estragos (mais), deixou uma preocupação na cabeça de todo e qualquer vascaíno espalhado pelos 04 cantos da terra. Será que o Vasco consegue a principal (e agora única) missão em toda a temporada? Com este futebol, sem técnico, recursos, diretoria, o que fazer para voltar à elite? Embora tivesse esperança (sim Amigos) de ainda reverter o placar e a consequente classificação, desde o apito final do arbitro, não me passa pela cabeça outra coisa, a não ser o insucesso do Vasco ao final da temporada.


Continua nosso sofrimento com o Vasco. Pela frente, ainda teremos várias partidas pelos desconhecidos e distantes gramados do imenso Brasil. Imagine você que, ao jogar num gramado decente, como o de hoje, num lindo estádio, o Vasco apresentou este futebol vagabundo, o que será que virá no restante do ano? Joel Santana, Ederson Moreira, Dorival Junior? Qual o corajoso da hora?


Um primeiro tempo irreconhecível do Vasco em que poderia nem ter mais esperanças para a segunda etapa, totalmente perdido em campo, cometendo faltas bisonhas, com descontrole total de nossos atletas, a noite prometia... Como sempre, o Vasco partiu pra cima, mas, logo, logo, o Poderoso ABC equilibrou a pelada e chegou ao primeiro gol (bonito, diga-se de passagem), com apenas 12 minutos de jogo. Alguns minutos depois, o Kleber, isolado na frente, até tentou, num lindo chute de longe. Apenas isso, depois, somente o ABC jogou.


Para a segunda etapa, no tudo ou nada, parecia (parecia), que o Vasco finalmente mudaria o panorama. Pois é, pelo desequilíbrio apontado acima, o Douglas foi expulso infantilmente e sepultou qualquer chance do Vasco nas bolas paradas. O que mais chamou a atenção foi exatamente a idiotice do atleta do ABC, expulso 01 minuto depois, e quase virando o vilão da noite.


O jogo ficou mais aberto, e curioso, nosso auxiliar técnico assistia a tudo passivamente, até ver o Vasco tomar o segundo gol. Só então que resolveu mexer, colocando o Max Rodrigues, que na primeira bola reacendeu a chama vascaína. Partindo para o famoso “tudo ou nada”, até que o Vasco lutou, diante de um adversário passivo, morto em campo, faltou um pouquinho mais de capricho. Somente no final, o Poderoso ABC, temendo o empate e a iminente desclassificação, resolveu jogar e faltou muito pouco, pois, em 02 tentativas, quase vem mais 02 gols. Por sorte (?) lá estava o atabalhoado Diogo Silva, que, por incrível que pareça, desta feita, não comprometeu, pelo contrário.

ps: Quem dará o tiro de misericórdia na decadência final do Vasco? Eurico? Roberto? Júlio? Aguardemos...

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

"O dia seguinte"

Vos peço uma licença "poética" para o título do post. O dia "seguinte" seria ontem, 31 e hoje já são 1/9, o que configura quase 48 horas sem um novo comandante.

Rodrigo Caetano afirmou que essa demora não é causada por incompetência, e sim por serem pegos de surpresa com o pedido de demissão de Adilson... o que sinceramente não entendo concordo, já que ele é questionado a bastante tempo. No mínimo, já deveriam saber para quem ligar caso ocorresse o "pior". E garanto que por "pior" ninguém esperava a pior goleada dentro de casa da história - logo na série B, para o Avaí!

Mas, tudo bem, eu aceito que uma diretoria tenha definido seu treinador e confiado-lhe uma tarefa até o fim. Só não concordo que, chegue essa altura de desgaste, sem sequer saber para quem ligar!

Mas, ao que tudo indica, Enderson Moreira é o plano A. Dorival, o plano B. Juninho foi convidado, e como já esperava, recusou. (admiro muito o jogador de futebol e reconheço muitas qualidades no ser humano "Juninho", mas todos sabem que ele não é de por o dele "na reta")

Eu espero sinceramente que, na falta de um Jorge Sampaoli ( HAHAHAHA), seja Enderson o escolhido. Três motivos; 1) Exclui a possibilidade do ultrapassado Joel Santana assumir, 2) É um técnico com experiência e conhecimento da série B e 3) é dentro das possibilidades, o melhor nome. Conseguiu resultados expressivos com aquele fraco time do Goiás em que Walter era a estrela, jogando um futebol ofensivo. E fez um bom trabalho no Grêmio, conseguiu os mesmos 62% de aproveitamento que Adilson tinha, mas na série A e libertadores, não na série B.

Essa é a minha opinião. Dizer que é o técnico dos sonhos, seria uma falácia, mas em terra de cego...

Seja lá quem for o contratado, espero que, para além de dar um padrão, uma cara à esse time, coisa que Adilson não conseguiu em nove meses ( e não sou EU quem está dizendo), consiga estar blindado dos problemas extra-campo com esse caldeirão político, e também motivar esses caras, porque tem partidas em que parece que o Vasco acha que vai ganhar a qualquer momento e joga claramente de salto alto!


Considerações aleatórias:

- O dia amanheceu quente em São Januário. Membros de organizadas, que foram acusadas pelo Adilson de querer dinheiro do treinador, fizeram pressão nos jogadores e foram atendidas por Carlos Gemano, que desse riscado, sabe tudo e mais um pouco.
 Não defendo esses caras. Acho que no mínimo, estar em São Januário numa manhã de segunda, é sinal de que são uns vagabundos, porque se trabalhassem, estariam nos seus empregos, e não em clube de futebol, que afinal, é diversão.
MAS, não é a primeira vez e nem será a última. Muito menos é exclusividade do Vasco da Gama. É uma clara demonstração de com a torcida está de saco cheio de tantos vexames.

- Uns dizem que o grupo derrubou Adilson, outros que o grupo está triste com a saída dele. Ao passar nove meses com uma pessoa, é normal que se criem vínculos afetivos, ainda mais com quem é uma pessoa bacana, como dizem que ele é, mas... "bacana" não ganha jogo de futebol. Eu também tive um gerente na época de Itaú que era a pessoa mais legal do mundo, mas vai ver os resultados dele....

- Dos cinco, dois gols tiveram a colaboração DIRETA da zaga vascaína, que estava totalmente PERDIDA. Como pode isso? nove meses de trabalho, e zaga batendo cabeça?!

- A campanha é pior do que a de 2009. Tal como era na época, o Vasco é o único clube GRANDE na disputa. Só que em 2009, o elenco era formado por jogadores desconhecidos e baratos, muitos deles atuando pela primeira vez num clube grande. O que faltava em talento, sobrava em disposição, e cansei de ver o Vasco ganhando de 1x0 com gol suado de Elton ou do Carlos Alberto, na sua ultima boa temporada. Hoje o elenco é muitas vezes melhor que aquele, e terminamos a primeira metade em quinto, desempenho abaixo de 2009.

- Entendam; O problema do Adilson não é estar o Vasco em quinto hoje. Duas ou três vitórias seguidas nos colocam na ponta da tabela...
... o problema  é que o Vasco joga MUITO MAL! O time não tem corpo, não tem padrão, cada jogo entra com uma escalação diferente, e ele inventava jogador fora de posição como se fosse o Guardiola. Além disso, não consegue extrair futebol de jogadores claramente talentosos como Montoya e Maxi Rodriguez, barrou Edmilson no melhor momento da carreira dele no Vasco (quiçá da vida!), jamais colocou o Jordi para jogar, mesmo com seguidas falhas de Diogo Silva... e claro, ser constantemente envolvido pelo adversário. Esse é o maior problema! Não só o Vasco não consegue vencer, como não convence. vemos times muito inferiores jogando melhor, envolvendo o Vasco, e isso não admito. Ganhar suado, jogar "pro gasto", a gente entende, mas ser seguidamente superado por times fracos e de folha salarial muitas vezes menor que a nossa é sinal de que o problema está no banco de reservas.

- Salário atrasado. Claro que isso influencia, mas temos na série A dois times, Flamengo e Botafogo, sei que vocês já ouviram falar, que estão atrasados também, e ganham seguidamente. O Flamengo estava em ULTIMO e em cinco jogos chegou à nono, com um elenco tão ruim ou pior que o nosso. Acho que pior...O Botafogo, que vive uma crise muito maior que o Vasco, ganhou o clássico com o FLu, ganhou o Santos ontem... e se pegasse o Vasco, ganhava!











domingo, 31 de agosto de 2014

Campeonato brasileiro, 18ª rodada; Vasco 0 x 5 Avaí (isso mesmo!)

 

Não sei dizer se essa é a página mais vergonhosa da história do Vasco, que infelizmente colecionou episódios vexatórios na última década….

…mas JAMAIS pensei que estaria vos escrevendo para dizer que o Vasco foi HUMILHADO dentro de cada, goleado por 5 x 0 pelo “poderoso” Avaí!

As comparações com o 1x7 do Brasil x Alemanha são inevitáveis. Lá como aqui, o time favorito, ao menos na teoria, foi humilhado dentro de casa com uma goleada acachapante, que só não foi de mais, porque lá, eles não quiseram, e aqui, porque faltou qualidade mesmo. A diferença, é que a Alemanha é a Alemanha, e o Avaí, é o Avaí.

Aí vai começar aquela conversa de que “ sobra sempre para o treinador’, e coisa do gênero. A mídia esportiva é engraçada, logo que acaba o jogo procura o presidente, diretor, etc do clube para saber se o técnico “vai cair”, igual urubu em cima da carniça, e depois que cai, é a primeira a pregar a “continuidade”, “planejamento”, etc. Hipócritas.

Fato é que Adílson, que a uma semana em pesquisa feita pela Netvasco, tinha mais de 80% de rejeição, não aguentou o rojão e pediu o boné. Isso por que, se dependesse de Rodrigo Caetano, permaneceria no cargo.

Graças à Deus não depende dele, que como diretor de futebol é bastante competente, mas que para avaliar trabalho de treinador, não sabe nada. Argumenta que Adílson é um bom profissional, sério, dedicado, etc, e eu acredito em tudo isso, mas fatos são fatos. Contra números, não há argumentos, e o número do Adílson é; 62.

62% de aproveitamento. Fosse na série A, tudo bem, mas Adílson tinha um elenco de série A, e termina a primeira metade em quinto a série B. Quinto! E não adianta vir com esse papo de que “entramos em campo brigando pela liderança” porque isso não dependia só do Vasco, e a obrigação do Vasco, era estar na liderança à muito tempo!

É como o Real Madrid disputar um campeonato espanhol SEM o Barcelona, e terminar em quinto. O Ancelotti permaneceria no cargo? acho que não….

São nove meses de Adílson Batista sem um sinal de progresso. O trabalho dele foi sempre “mais ou menos”, pro gasto. Se dizia a muito tempo de que ele era “suficiente” para o Vasco chegar à série A. “mais ou menos”, “dá pro gasto”, “suficiente”…todos adjetivos aquém da grandeza do clube. Pelo amor de Deus, não é muito pedir para o Vasco, dono do maior orçamento de LONGE da série B, dono de elenco de série A, lidere a segunda divisão. Não estamos pedindo o BarceloVasco,apenas vitórias. Ao invés disso, vemos um time que sofre para marcar gols, e a essa altura do campeonato tome gols bobos, de falhas de marcação bisonhas, como nos dois primeiros de ontem.

Então, me desculpem. Não tenho nada contra o Adílson Batista,desejo-lhe o melhor da sorte, mas não dá para confiar nele para trazer o Vasco à série A. Esse time ridículo do Palmeiras venceu a segundona com sobras, e o Vasco com elenco muito melhor, está em quinto! Se após ser surrado por 5x0 em casa não for hora de trocar o comando da equipe, eu não sei quando seria. Melhor agora, que o futuro treinador terá exatamente metade do campeonato. Já pensaram em manter o Adílson, e daqui a uma dúzia de rodadas, o Vasco ainda correr risco de não voltar à série A? Isso sim, seria o maior vexame da história do Vasco.

Portanto Sr. Rodrigo Caetano…eu sou o primeiro a te defender enquanto diretor de futebol, mas estou vendo que para vssa. sria. um 5 x 0 é normal. Sendo assim, existe um mundo de diferenças entre a sua concepção de “VASCO” e a nossa. Para nós, 5x0 em casa na série B, é TUDO MENOS NORMAL.

Nessas horas lembro de algo que meu pai sempre diz: Antes tarde do que nunca!

 

A palavra do Nildeval:

 

O que falar do Vasco após mais uma derrota, ou melhor, após mais uma humilhação?. Sinceramente, lembrei-me do recente vexame do futebol brasileiro, afinal, com o time na serie A ou B, com titulares ou reservas, juniores ou não, quem em sã consciência poderia imaginar o Vasco levando uma surra do Todo Poderoso Avaí? ? ?

Sei que agora surgirão varias hipóteses e desculpas para a demissão do Adilson Batista. Ele não pode levar a culpa sozinho, mas, costume no futebol brasileiro, o técnico tem que ser o primeiro a ser sacrificado. Obviamente, os problemas do Vasco vem de muito tempo e seria preciso promover uma mudança radical, principalmente administrativa. Sabemos que isso não vai ocorrer, nem no Vasco, nem em qualquer clube brasileiro. Tal como em nosso futebol (CBF), existem interesses pessoais em prol dos coletivos, afinal, quem quer deixar a teta???

Voltando um pouquinho na semana, apesar dos pesares, todos cravavam o Vasco na próxima fase da Copa do Brasil diante do Cruzeiro, ou seja, apesar de tomar um gol com menos de 02 minutos, o certo seria o Vasco virar e sacramentar logo a classificação. O que se viu porem, foi um verdadeiro show de Somália e Cia, e um Vasco horroroso. Claro que ainda podemos nos classificar diante do Todo Poderoso ABC, longe de São Januário. Mas quem tem tanta certeza???

O engraçado é que o Vasco não nos proporciona qualquer segurança em relação à classificação para a elite do futebol brasileiro em 2015. Após embalar umas 03 ou 04 vitorias, a sensação era de uma classificação relativamente fácil (apesar de não jogar bem, as vitorias vinham e os 03 pontos nos jogavam lá pra cima). De repente, ao chegarmos exatamente no meio do campeonato, com a goleada sofrida, ocupamos o modesto quinto lugar na tabela e, de cara, uma preocupação em permanecermos na segundona.

O jogo de hoje foi terrível, talvez a pior apresentação do Vasco nos últimos sei lá, 05 ou 10 anos, era a bola rolar e o Avaí marcar. Inacreditavelmente, até o Martin Silva parecia um dos goleiros do ano passado. E olha que o arbitro ainda tentou ajudar, marcando um penal inexistente, pois a falta, nitidamente, foi fora da grande área. Mas lá estava o Douglas para manter as estatísticas e levar o Vasco a perder mais um penal. Vergonha...

Semana difícil (mais uma), Vasco sem direção, pouquíssimos técnicos disponíveis (principalmente o que se encaixa no atual Vasco), decisão da Copa do Brasil e, principalmente, o trabalho incansável de levantar o moral de todo este elenco. Como dito aqui varias vezes, o plantel do Vasco perde apenas para alguns dos principais clubes brasileiros, conta-se nos dedos, o time porem, ganha de poucos. Muito trabalho, desafios e ações coletivas, quem aposta no Vasco??? Vamos aguardar. Abraços e até terça-feira.

terça-feira, 26 de agosto de 2014

Copa do Brasil, 4ª fase, primeiro jogo; Vasco 1 x 1 ABC

Já estou ficando sem palavras para explicar porque diabos o Vasco não ganha times claramente inferiores. Ou melhor "elencos", porque TIME é algo que o Vasco não forma. 


Nosso time não tem padrão tático, e os jogadores parecem robôs teleguiados pelo treinador, onde tem função rígida

Não há balanço defensivo, não há jogadas pelos flancos, o time tenta manter a posse de bola e afunila sempre

Nossa zaga é lenta, nossos laterais não vão ao fundo do campo

4-2-3-1 é facilmente anulado por duas linhas de quatro e adiantamento da primeira linha, pois não temos volantes que se apresentam atrás desta primeira linha adiantada, o tal homem-surpresa

Jogamos neste esquema, sendo que o numero 1 (Kleber) tem obrigações defensivas e não figura na área

Hoje, o vasco precisa enxergar sua realidade, precisa em primeiro lugar esquecer isso de três meias com dois abertos em pé invertidos (Montoya cortando pra dentro)

É preciso jogar com o elenco que temos com três zagueiros, rodrigo na sobra, liberar Carlos Cesar e Diego Renan, Guina, Fabricio e Douglas, Maxi e Kleber, com isso teremos ultrapassagens pelos dois lados dos laterais e com Douglas e maxi chegando de trás, com Kleber jogando mais próximo do gol; é só lembrar com jogava o vasco de Felipe na lateral esquerda, onde o Nasa fazia o terceiro zagueiro, liberando-o para atacar.



domingo, 24 de agosto de 2014

Campeonato brasileiro, 17ª rodada; Vasco 1 x 1 Icasa

Quando parecia que o Vasco FINALMENTE havia engrenado com vitórias seguidas, entrado no G4 e colado no líder com uma belíssima vitória sobre o mesmo...ele me perde do LANTERNA, e no jogo seguinte cede o empate no último minuto ao "poderoso" Icasa.

Contra o Vila, o Vasco jogou mal o tempo inteiro. Contra o Icasa, bastou 25 minutos para deixar escapar a liderança. Jogou muito bem o primeiro tempo, os primeiros 15/20 minutos do segundo, e aí... deu pane! De repente, o Vasco recusou, foi acuado PELO ICASA no seu campo defensivo, abdicou de tentar marcar e o castigo merecido veio aos 44 minutos numa falha de Martin Silva. Mas, dá para culpa-lo? Não, não dá. Não adianta nada jogar melhor, e não marcar. Atacamos, tivemos várias chances, mas gol mesmo só num escanteio cobrado por um surpreendente Maxi Rodriguez e completado por Rodrigo, que faz uma falta danada ao Vasco.

Domínio do Icasa só na segunda metade do segundo tempo, mas desde o primeiro minuto, o Vasco era atacado por todos os lados, pela esquerda, pela direita, com laterais que, entra ano sai ano, são avenidas. Bola parada? só dava Icasa! o VASCO era constantemente ameaçado pelo ICASA em bolas paradas. Como pode?! 

O Vasco não é um time, é um apanhado de jogadores. Ganha porque, tecnicamente, é superior. Porque tem, de LONGE, o melhor plantel da série B, e porque vez ou outra, esses caras resolvem se matar em campo e ganhar, porque, do banco de reservas, não vem nada. Antes o Adilson escalava mal e mexia bem (não era suficiente), e agora ele escala certinho, do jeito que a torcida espera, e mexe mal. Toda substituição do Adilson Batista é maluca, é um tal de "pôr esse casa no luar daquele, mas que vai fazer a função do outro" que eu não admito. Quem esse cara pensa que é, José Mourinho?! 

Não tem desculpa para o Vasco.  Eu nunca imaginei que estaria torcendo para o Vasco na segundona, e aos 45 do segundo tempo daria graças a DEUS que uma bola passou à direita da trave, porque senão tomávamos a virada do poderoso ICASA....

A palavra do Nildeval:

Torcer para o Vasco se tornou uma das tarefas mais nojentas que o outrora animado vascaíno tinha tanto prazer. Não importa o adversário, parece-me até um complô de dirigentes, jogadores, funcionários, técnicos, auxiliares e afins. De repente, quanto pior o adversário, menor o rendimento vascaíno em campo. Ninguém respeita mais o Vasco, quer seja em casa ou (principalmente) longe dela.

Novamente eu e você queremos que o ano vascaíno acabe logo, a agonia parece não ter fim. Impossível imaginar um Vasco com Kleber, Martin Silva, Max Rodrigues, Guinhazu, Montoya, passar sufoco e levar o empate nos minutos finais do todo poderoso Icasa, dos atletas Henry Kanu, Edson, Ivonaldo, Foguinho. Por favor, é ridículo e inaceitável.

O Vasco insiste em estragar nosso final de semana. Justamente quando poderíamos fazer um programa diferente com a família ou com amigos, engrenados por uma goleada (obrigatória) em cima do Icasa, mais uma vez, reinou a frustração. Que sina, Amigos. Não nos resta a menor duvida, ao final da trigésima oitava rodada deste horrendo campeonato da serie B, estaremos aqui comemorando tão somente a subida do Vasco a elite, se bobear, até em quarto lugar (o que será uma vitória e tanto). Digo isso, muito mais pela qualidade do campeonato e dos adversários, não pelo Vasco, não, não.

Vamos nos poupar de comentar esta apresentação do Vasco nesta noite de sexta-feira, senão, daqui a pouco, ninguém mais vai ter qualquer animo em falar de Vasco. Até breve. 


Abraços e excelente final de semana, apesar de...