quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Campeonato brasileiro, 16ª rodada; Vasco 1 x 2 Vila-Nova


É inacreditável! As vezes, não sei explicar o Vasco! 

Em uma semana, faz seu melhor jogo na competição, vencendo com propriedade o líder, e depois joga de salto alto contra o lanterna. Numa semana onde vimos a eliminação de São Paulo e Fluminense da Copa do Brasil pelo mesmo motivo. É impressionante a falta de seriedade desse elenco, jogando uma série B, perder do lanterna fazendo um jogo pífio, tendo "99%" de posse de bola por 45 minutos sem ser capaz de fazer um gol!

Não dá mesmo para acreditar nessa porcaria de time, não dá para levar a sério. Passar para a série A, já vai ser mesmo, o máximo que se pode esperar dele.

A palavra do Nildeval:

Apenas 03 dias após ganhar do líder com autoridade, o Vasco perde do lanterna, e olha que o cenário era todo favorável, quer seja: campo neutro (estádio e gramado excelentes), 20 mil torcedores a favor, empate daria a liderança, etc.

Claro que após 04 vitorias consecutivas, a expectativa era enorme, afinal, eu e você esperávamos uma goleada diante do pior time do campeonato até então. Frustração... Não por acaso, estamos na segundona, portanto, não fique surpreso.

Com alguns desfalques, como o zagueiro Rodrigo e principalmente o goleiro Martin Silva, o Vasco entrou em campo totalmente desatento e tomou 02 gols ainda na primeira etapa. No primeiro gol, o Diogo soltou uma bola relativamente fácil, no meio da pequena área, e nos pés do atacante, fácil, fácil.  No segundo, ele não teve culpa, na verdade, nossa defesa ficou perplexa e totalmente batida, diante do ataque do Vila Nova.

Mesmo em desvantagem, o Vasco ainda conseguia manter a posse de bola (incríveis 70%). Mas, como diz o poeta  daquela famosa banda mineira: “Bola na trave não altera o placar”. Mesmo dominando, o Vasco pouco criava e só chegou ao gol num lance de pura sorte, ou melhor, azar do zagueiro adversário, que desviou uma bola que iria parar lá no Planalto.

Na segunda etapa, somente o Vasco jogou, literalmente ataque contra defesa. Precisando desesperadamente da vitória (havia conquistado somente 02 até aqui), o Vila Nova fez de tudo para segurar o placar: Muitas faltas (sem violência, apenas para parar o jogo), muita encenação (a famosa cera) e chutões para onde o nariz apontasse. A tática deu certo e apesar do domínio vascaíno (desta feita, com 75% de posse de bola), sequer veio o empate e liderança isolada.

Em mais uma semana estranha (jogos terça e sexta-feira), o  torcedor vascaíno passará o sábado e obviamente o domingo, sem ver seu time do coração atuar (aproveite e programe-se). Com a volta dos desfalques, esperamos uma melhor atuação diante da fraquíssima equipe do Icasa. Claro, o alerta sempre deve estar ligado. Abraços.

Abraços a todos e até sexta feira.

terça-feira, 19 de agosto de 2014

Campeonato brasileiro, 15ª rodada; Vasco 2 x 0 Ceará

por Nildeval Sten:

Enfim, uma vitoria convincente. O Vasco jogou muito, do inicio ao fim. Muito bem armado, jogando serio, não deu chances para o atual líder do campeonato e, acreditem, teve até algumas jogadas ensaiadas.

Embora seja um jogo de segunda divisão, pelo que vinha apresentando, temos que elogiar a equipe de Adilson Batista. O time entrou em campo com tanta vontade que foram precisos 02 cartões amarelos logo de inicio (merecidos, por sinal). Verdade que nossa defesa não deu chances para o bom time do Ceara. Podem contar nos dedos as defesas que o Martin Silva fez...

O pênalti a favor do Vasco foi inexistente, no meu modo de ver. Nada porem justifica a equipe da Rede TV se escabelar pelo erro de arbitragem. O tal narrador não fez mais nada o jogo inteiro, a não ser frisar que o Vasco havia se beneficiado. Acontece que o jogador cearense estava de costas para o juiz e tudo foi questão de interpretação. Outra coisa, o Vasco não pode perder tantas penalidades assim, uma hora vai fazer falta.

Bem postado em campo, sem um atacante fixo, pois o Cleber e o Biteco voltavam para ajudar, o Vasco, após perder o penalti, marcou logo em seguida, em linda jogada do Douglas em que o Cleber, sempre bem colocado, somente empurrou para as redes. Claro que passou aquele filme na nossa cabeça. Jogando em casa, saindo na frente, certamente o Vasco vai relaxar. Ledo engano, o Gigante continuou atacando e poderia ter ampliado, ainda na primeira etapa.

O segundo tempo não foi diferente, o Vasco não se descuidou. Como vem acontecendo, o Douglas tem sido decisivo em quase todos os gols do Vasco, quer dando assistência, ou nas bolas paradas. Com muita categoria, mais uma vez, numa linda cobrança de falta, ele deu números finais à partida. Parabéns Cleber, Douglas, Biteco, Adilson e toda a torcida vascaína espalhada pelos quatro cantos do planeta. São Januario, pra variar, estava maravilhosamente lindo.

Boa semana.
Vila Nova, terça feira, no Mané Garrincha, liderança? Até  lá.

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Campeonato Brasileiro, rodada atrasada da Copa. Vasco 1 x 0 Náutico


" ... e ainda temos um jogo à menos" 

Bem, isso acabou. O jogo veio, numa semana atribulada, complicada, sem tempo de descanso, desfalcados do "Super Martin Silva", e ainda assim, ganhamos. Jogamos mal, o gol foi miserável, mas ganhamos, e com isso chegamos no G-4.

Agra acabou o argumento do "jogo a menos". Qualquer potinho que perdermos vai ser um desfalque. Acabou também o argumento do "nervosismo" por estar em baixo na tabela. Uma vez no G-4, cabe apenas ao Vasco se manter ali.

Mas isso é pouco! muio pouco! Não me canso de dizer, que o VASCO não é time para estar na segunda divisão. São VINTE times na série A, e um clube como o VASCO não tem o DIREITO de frequentar a série B, quanto mais repetir a dose. Portanto um clube com a folha salarial que o Vasco tem, é OBRIGADO SIM a ganhar convencendo na série B. É OBRIGADO SIM a conquistar essa bagaça antecipadamente, e ganhando de goleada. Chega de nos contentarmos com pouco, com 1x0 com gol "cagado"! 2014 já vai chegando à reta final, e o Vasco continua jogando mal, feio, truncado. Que melhoramos após a Copa, melhoramos, pelo menos estamos ganhando, mas não dá pra aceitar um time que o treinador montou, teve todo o apoio e paciência do mundo vindo da diretoria, recebeu reforços de peso, e continua com esse futebol modorrento, ganhando suado de "poderosos" como Náutico, Paraná, etc. E em 2015 na série A, como vai ser???

A palavra do Nildeval:

O primeiro passo para a liderança foi dado e o Vasco cumpriu 50% de sua missão na semana. Diante de sua torcida e enfrentando o líder do campeonato, o Vasco não pode mais cometer erros.

O jogo começou muito bem (como sempre tem acontecido com o Vasco), e o Vasco, apesar de merecer o gol, pois estava bem melhor em campo, acabou dando muita sorte, pois, ao errar o chute, o Aranda acabou dando o passe para o Dakson, que também contou com a contribuição do zagueiro, que desviou a bola do bom goleiro Julio Cesar.

O gol logo no começo, mais uma vez deu esperanças para o torcedor vascaíno, que sempre espera uma exibição de gala (que não vem há muito tempo). É bem verdade que o Náutico é um time tradicional do nosso futebol, ainda mais jogando em casa, mas estávamos diante de uma equipe enfraquecida e que tem lutado desesperadamente para não cair à série C.

Embora tenha criado mais oportunidades de gol, o Vasco esbarrou no excelente goleiro adversário, que salvou seu time por 02 oportunidades incríveis, mas, o Gigante da Colina voltou para a segunda etapa totalmente desligado e poderia até ter sofrido o empate, se não contasse com a expulsão infantil do Cañete e o cansaço do atacante Sassá, que deitou e rolou em cima de nossa defesa, enquanto esteve em campo.

Mais uma vez, o que valeu foi a contabilidade, pois, estes 03 pontos, nos colocaram na vice liderança, e já no final de semana, em caso de vitória, dificilmente o Vasco deixará o G-4, não interessando sua posição. Digo isso, muito mais pelo nível técnico das equipes apresentado até aqui: SOFRIDO.


Abraços a todos, e que venha o Ceará...


segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Campeonato brasileiro, 14ª rodada; Vasco 2 x 1 ABC

Por Nildeval Sten:

A Vitoria veio no momento certo. O Vasco encostou de vez no G-4, pode finalmente estar nele no meio de semana, se vencer o Náutico no Recife, e, ficar bem na foto diante do atual líder, já  no final de semana, em São Januario. Portanto, chegou a hora.

Foi um bom jogo. Verdade é que exigimos sempre mais do Vasco, principalmente jogando na serie B, onde, a maioria das equipes é considerada inferior. Acontece,  porém, e repetidamente temos falado aqui, o Vasco está longe de apresentar aquele futebol que estamos viciados.

Por enquanto, vamos aturando. Hoje teve chute do Aranda de fora da área, boas defesas do Martin Silva (salvou o Vasco em pelo menos 03 vezes), uma boa atuação do Douglas, e o gol do Kleber, que estava precisando muito. A cobrança da torcida tem sido grande, como ele é experiente, aos poucos, vai se firmando. Por enquanto, aindaé nossa melhor opção no ataque.

O segundo gol vascaíno (desta feita o Douglas pegou a bola para bater a penalidade), deu muita tranquilidade ao Vasco. Claro que o ABC, jogando em casa, apertou o cerco e chegou a marcar seu golzinho, numa linda cavadinha (arriscada, por sinal), do experiente Denis Marques, sem chance para Martin Silva.

Nem bem vamos respirar, e o Vasco  já estará novamente em campo. Semana decisiva para o Gigante da Colina. Fica aqui nossa torcida pelos 06 pontos, que nos colocarão no lugar em que deveríamos estar desde o inicio do campeonato.

Abraços e excelente semana a todos.

terça-feira, 5 de agosto de 2014

Ingresso é para sócio! (?)


Amanhã, se não aparecer mais uma liminar na justiça, tem eleição no Vasco. São sete as chapas inscritas, uma de última hora que diz NÃO ser de oposição à gestão Dinamite...

Não vou ficar debatendo política aqui, apesar de não esconder que meu voto seria pelo Julio Brant, mas achei muito curiosa essa frase do candidato Roberto Monteiro, ex presidente da Força Jovem, e líder da Chapa Identidade Vasco:

"Ingresso é para sócio".

Fonte: http://www.netvasco.com.br/n/150247/roberto-monteiro-defende-mais-jogos-no-maracana-e-afirma-ingresso-e-pra-socio

Ok, o camarada que paga mensalidade tem que ter prioridade para alguma coisa, senão porque diabos alguém iria se afiliar à um programa de sócios?

Mas na prática, essa política é a mesma da diretoria do Flamengo, que vende a sua parte da carga de ingressos a preços "menos caros" onde os sócios acabam com quase sua totalidade, e a parte que cabe ao Maracanã, é vendida pelo preço "padrão FIFA".

No Vasco, o que vai acontecer é muito claro; Cambismo. Os cambistas agem livres e soltos no entorno de São Januário, aí aparece um camarada que quer vender os ingressos primeiro aos sócios, e se sobrar à "ralé". Ou seja; o que vai ter de sócio comprando ingresso e revendendo através de cambista pelo dobro do preço é brincadeira...

Só por ter sido presidente de torcida organizada, eu já descarto um cara desses.

Assim como descarto Vice-presidente de alguma coisa que entrou no "poder" através da imagem dos outros e depois largou o Vasco como largaria uma PUTA.

Assim como descarto candidatos que são investigados pela Polícia e nem aparecem para debates. Tampouco apresentam projetos. Também pudera, eles não TÊM projetos.


segunda-feira, 4 de agosto de 2014

Campeonato Brasileiro, 13ª rodada; Vasco 1 x 0 Paraná


Desde que voltamos da pausa da Copa do Mundo, o Vasco jogou seis vezes. Dois empates e quatro vitórias, com a de ontem.

Normalmente seriam números para ficarmos tranquilos, mas pergunte a qualquer vascaíno se ele está tranquilo. Eu, não estou. O Vasco vence, o que não é mais que sua obrigação na série B, ou na Copa do Brasil com um adversário menor como a Ponte Preta, mas não convence. Não empolga, não converte metade das suas chances de gol e volume de jogo em tentos. Não adianta ter volume de jogo e ficar no 1x0 contra o Paraná, time que brigará para não cair à série C, e depender que o goleiro faça algumas defesas cruciais. Ele está lá para isso, mas o certo era o Vasco que tem muito mais recursos, muito mais time, encaçapar meia dúzia de gols no Paraná.

E é assim que o Vasco vai conseguindo pontos. Cada ponto é importante, jogando mal ou bem, mas a única esperança que tenho, é que essa série sem perder e essa sequência de duas vitórias na série B, finalmente embalem o gigante da colina.

- Gabriel


A palavra do Nildeval:

De propósito, deixei os comentários para depois da rodada do futebol brasileiro de todas as categorias praticadas nos gramados do território nacional. Incrível, o nível anda tão baixo, que nem o jogo do atual campeão e líder Cruzeiro chamou-me a atenção. A proposito, não estou entendendo como a TP e a CBF ainda não apresentaram jogadores irregulares naqueles times considerados menores, para assim, tirarem-lhe os pontos e recolocarem o seu preferido fora da lanterna. Aguardem, é somente questão de tempo...

Precisando se firmar no campeonato, o Vasco começou elétrico, tal a disposição de seus jogadores. Buscou o jogo, se lançou ao ataque e conseguiu abrir o placar numa cobrança de falta do Douglas em que a defesa paranista deu bobeira e o Douglas Silva somente empurrou para as redes.

Mais uma vez o cenário se repetia. Com o Paraná (na zona da degola) desesperado, era tudo que o Vasco precisava. Pois é gente, não fosse o Martin Silva, o Vasco teria sofrido a virada ainda na primeira etapa. Em 02 cabeçadas sensacionais, Ele tirou a primeira com as mãos e a segunda com os pês.

Na segunda etapa, somente o Paraná jogou. Criou as melhores chances e só não empatou no final porque a trave ajudou o incrível goleiro vascaíno, que não merecia. Estes 03 pontinhos farão muita diferença na contagem final.

Temos um goleiro de verdade, o nível de nosso futebol está no mesmo patamar de todo o praticado no Pais. Nossa defesa é péssima, hoje, perdemos todas pelo alto. Continuamos não convencendo em São Januario. Contudo, todavia, não podemos jogar fora um presente dado pelo adversário como o fez o nosso atacante Kleber. Jogo tenso, difícil, ele é o cara que tem que assumir a responsabilidade, certo? Sim. Mas, tem que treinar. Ainda bem que não comprometeu, porem, abra o olho...

Grande abraço a todos.

Semana tensa na Colina.

Aguardemos...

quinta-feira, 31 de julho de 2014

Copa do Brasil 3ª fase, 2º: Vasco 2 x 1 Ponte Preta


Olá amigos.

Antes de falar sobre o jogo, gostaria de comentar brevemente sobre o cenário político do clube.

Como vocês sabem, eu era, sou e sempre serei contra Eurico Miranda na presidência. Acho que ele seria alguém útil ao clube enquanto membro de uma diretoria, porque é malandro, conhece o futebol brasileiro, tem recursos e põe o "pau na mesa" sem medo de cara feia. Mas o fato é que Eurico é um egocêntrico, centralizador, despotista,corrupto, retrógrado, antiquado e faz do clube seu quintal e seu reino onde quem manda é ele e ponto final, então jamais Eurico vai colaborar com o Vasco não estando na cadeira do presidente, porque ele não quer o bem do clube, ele quer é GRANA. Eu apoiei o Dinamite, e ao passar dos anos, vi que muitas dessas "qualidades" são comuns à ambos. Cansei de dizer neste blog também, que votar em gente que usou a figura do Roberto para entrar no clube e depois o abandonou e virou as costas para o Vasco é o mesmo que o carioca votar no Pezão para governador,um cara que foi parar ali por causa dos outros, não por ele mesmo.

Eu não sei vocês, mas eu estou de saco bem cheio desses presidentes "boleiros". Esses caras que fazem do clube o seu negócio, gerenciam o clube como se fosse uma padaria, mandam e desmandam, pagam a quem quiser, fazem contas que não podem pagar e não estão preocupados com o que vai ficar depois que saírem da presidência. São esses caras que fuderam com o Vasco e atolaram o clube em dívidas, e a muitos outros clubes também. São o símbolo de um futebol brasileiro que não pagava salários, impostos ou obrigações trabalhistas, um futebol que acabou, e a Receita Federal vai tirar até o último centavo desses clubes em dívidas, podem escrever aí.

Clube de futebol hoje em dia não pode mais ser tratado como um poço sem fundo de dinheiro, precisa ser gerido como uma empresa, e portanto precisa gerar LUCRO,operar no azul. O Governo se reúne com os clubes para negociar o parcelamento de dívidas, mas algum presidente quer se comprometer com a outra parte do acordo, que é se responsabilizar pelas finanças da equipe? não. Todo mundo quer fazer do clube de futebol um palanque político para obter visibilidade e se lançar candidato à deputado, senador, a obter contatos para firmar contratos explorando negócios do clube ( como o Maurício Assumpção do Botafogo), ou para arrumar um cabide de empregos para uma duzia de fantasmas, empregar o filho, enteado, genro...

Por isso dizia que o futuro do Vasco não inspirava esperança, porque os candidatos eram desse perfil. 

Não quero influenciar a decisão de ninguém aqui, mas peço que no dia da votação pensem bem no que vocês querem; um presidente que vai gerir o Vasco como o clube do bolinha, ou um presidente que vai gerir o Vasco como uma empresa, assim como os clubes europeus fazem.

E por falar em votação, ainda bem que a justiça determinou que o pleito seja em Agosto. Quero que isso acabe logo, porque até lá vai ser um tal de candidato fazer propaganda em volta (e dentro) de São Januário, que não está no gibi. A muito tempo o Vasco não tinha tantas chapas escritas, e todo esse clima de indefinição faz mal inclusive ao time. Portanto adiar isso seria apenas alongar o sofrimento e a incerteza, se for para acontecer, que seja logo.

--


Sobre o jogo:

O Juninho semana passada ao comentar Vasco 0 x 0 Ponte, explicou bem a situação. Não vou nem comentar sobre o que disse a respeito da estrtutura do clube, que precisa mesmo urgentemente de uma mudança, de voltar a ter um CT minimamente comparável ao que clubes como Corinthians e Cruzeiro tem, mas sobre o time; 

'O Vasco tem três volantes lentos, com um meia que também é lento, com dois atacantes que não são rápidos'


Perfeito. Simplesmente perfeito. O Adilson Batista já mudou esse time uma duzia de vezes esse ano, e embora eu entenda que só é possível fazer limonada com limões, as vezes há de se armar a equipe com o que se tem de melhor no momento, não é possível que em Julho o torcedor do Vasco não saiba como o time vai jogar.

A última moda era de povoar o meio campo com voloantes apostando numa maior posse de bola, o que funcionou muito bem contra o Santa Cruz, e depois rateou, uma hora funcionou, outra hora não... naquele zero a zero, o problema era claro e evidente; o Vasco tem um meio lento, um armador lento e um ataque lento. Como o Vasco não é um Barcelona, ou ainda uma Alemanha, não é que nessa lentidão toda se escondesse 60% de posse de bola,simplesmente faltava velocidade e o Vasco chegava à área adversária com dificuldades, já encontrava uma defesa recomposta.

Ontem, o Adilson mudou o time OUTRA vez. Ao invés de três volantes, jogamos "apenas" com Guiñazú e Fabrício atrás, e Dakson e Douglas na frente, Thalles e Kléber na frente. E mudando apenas uma peça, o time já foi outro, mais dinâmico e explorando melhor as laterais. Dakson jogou dando opções para Douglas e arriscando de fora da área ( sem sorte), coisas que faltavam ao time. 

Não me entendam mal; o Vasco não arrasou o jogo. Ganhamos com um gol de pênalti, outro contra e levamos um de cobertura do "craque" Cafú, portanto não posso estar feliz com o resultado. Mas acho que o caminho a percorrer passa por esse "sketch" de time; dois volantes, dois meias. Clássico.

O que não pode acontecer, é o Vasco estar na frente do placar e levando sufoco em contra-ataque. O time ataca, mas se recompõe devagar. Guiñazú não é mais um garoto, o Fabrício nunca foi muito rápido (embora seja um grande jogador, um volante clássico, elegante, que joga de cabeça em pé e chega na frente), exigindo que os meias ajudem na marcação. Não faltou disposição da dupla Dakson/Douglas, mas isso tem seu preço, que é a de o responsável pela criação vascaína, o 10, ter recebido a maioria das bolas no círculo central. Dakson aos 30 minutos estava espezinhado, e no seu lugar entrou Montoya. 

E o que dizer daquela jogada cômica do Rodrigo? 

E aos 30 minutos do segundo tempo, quando o atacante da Ponte chutou de fora e Martín Silva furou a encaixada, largando a bola no pé do atacante paulista, que felizmente estava impedido?

A essa altura do campeonato a defesa vascaína falha assim? Por isso empata tanto, é um time que sofre gols bobos, e tem dificuldade em chegar na cara do gol.

segunda-feira, 28 de julho de 2014

Campeonato Brasileiro, 12ª rodada; Vasco 0 x 0 Ponte Preta

Por Nildeval Sten


Retrato do atual futebol brasileiro, um jogo digno de segunda divisão. Fraco tecnicamente, sem jogadas ensaiadas, sem lances de tirar o folego, sem dribles individuais, enfim, jogo para ficar no ZERO mesmo.

No caso do Vasco, alguém precisa urgentemente chamar a atenção de nossos atletas para o fato de que o time tem que somar pontos para voltar à divisão de elite de nosso futebol (que, como retratado acima, carece de talentos). Lá se vai o sétimo empate do Vasco na competição, em 12 rodadas, quer dizer, de empate em empate, o Vasco não vai chegar a lugar algum. O Ceará, por exemplo, com mais uma vitória, e fora de casa, lidera, com 27 pontos, encaminhando, muito bem, a classificação.

O jogo foi muito ruim, com um primeiro tempo sofrido, de castigar o pobre torcedor, tanto os gatos pingados que encararam o frio de Campinas, como os que ficaram com o cobertor, deitados confortavelmente no sofá de casa.

Sem muito o que falar, para não cometer injustiças, o Vasco teve um lance de perigo na segunda etapa, numa cabeçada, onde o goleiro Roberto acabou salvando, no susto, e a Ponte, em 02 lances, primeiro, uma defesa difícil do Martin Silva, que buscou no ângulo uma bola perigosa, depois, nos minutos finais, inacreditavelmente, uma bola da Ponte bateu no travessão, pipocou na pequena área, e o Vasco acabou dando muita sorte, pela falta de categoria dos jogadores da Macaca. No mais, Meus Diletos e Fieis Amigos, fica mais uma vez, a expectativa de um jogo, pelo menos razoável, na volta da Copa do Brasil, desta feita, na Colina histórica, na próxima quarta feira. Se depender das 02 equipes com seus respectivos atletas, sei não viu...

Abraços.

sexta-feira, 25 de julho de 2014

Copa do Brasil, 3ª fase. 1º jogo: Vasco 2 x 0 Ponte Preta

Por Nildeval Sten:

PONTE PRETA 0 X 2 VASCO


Vá se acostumando, pois este foi apenas o primeiro, de uma série de 03 jogos que teremos contra a Macaca. No primeiro e mais importante (pelo menos por enquanto), levamos a melhor. Vale lembrar que na Copa do Brasil, gol marcado fora de casa, tem peso dobrado, portanto, dificilmente o Vasco perde a classificação à próxima fase.

Foi um jogo bem movimentado, principalmente no primeiro tempo, em que as 02 equipes não nos proporcionaram lances considerados perigosos, mas mostraram muita disposição. Exceção feita logo no início, numa furada do zagueiro Rafael Silva, em que a bola sobrou limpa para o Talles, que conseguiu perder um gol inacreditável.

Merecidamente, aos 10 minutos do segundo tempo, o Vasco chegou ao primeiro gol, com o lateral Diego Renan, após um passe milimétrico do Douglas. A partir daí, o jogo pegou fogo, com a Ponte Preta se abrindo e procurando o gol de empate. Acontece que o Vasco procurou definir logo o jogo, e apenas 06 minutos depois, após o goleiro Roberto rebater bola de Cleber, o Talles, desta feita, não perdoou e deu números finais a partida.


Nem bem vamos respirar e novamente teremos o segundo confronto, agora, com foco bem diferente, já que a partida será pela Série B. Vale lembrar também, que o Vasco precisa da vitória, já que ainda estamos um tanto quanto desconfiados da equipe no Campeonato Brasileiro. Portanto Amigos, abraços e felicidades a todos e até sábado.

segunda-feira, 21 de julho de 2014

Campeonato Brasileiro, 12ª rodada; Vasco 1 x 1 América-RN

Por Nildeval Sten:

Amigos - saudades.

Após a goleada imposta no meio de semana, no retorno a São Januário, desta feita, com apoio da torcida, esperava-se uma goleada, ou, pelo menos, uma vitória convincente. Incrivelmente o estigma São Januario continua nos perseguindo e, jogando em casa, o Vasco continua mal.

Foi um bom primeiro tempo, aliás, o futebol praticado pelo país afora, de primeira ou segunda divisão, continua sofrido, com o Vasco não poderia ser diferente. É a herança pós-Copa.

Após abrir o placar, num golaço de falta do Douglas, parecia que o Vasco definiria logo a parada, pois, com a equipe do  América procurando o empate, o jogo ficou mais dinâmico e somente o Vasco jogava. O Cleber ainda não está em sua melhor forma, mas já deu esperança ao torcedor. O que faltou hoje e parece cada dia mais carente no futebol brasileiro é aquele atacante matador, tipo Romário, Edmundo e os 02 Ronaldos. Este quarteto parece ter fechado o ciclo recente do futebol brasileiro.

Para a segunda etapa, o Vasco começou até criando algumas oportunidades com a entrada do Aranda, mas foi justamente o América quem dominou o jogo, buscou o empate, que veio numa atrapalhada sem precedentes de nossa defesa e, só não virou o placar, porque temos goleiro. Ainda tivemos um lance incrível já nos acréscimos, numa cabeçada a queima roupa defendida pelo goleiro, mas, se existe justiça no futebol, esta foi feita na tarde de hoje, e merecemos mais um empate jogando em casa, frustrante...

Para encerrar, o panorama do Vasco não mudou em quase nada, ou seja, o sofrimento, ao que parece, vai nos acompanhar até o final do campeonato. A classificação (nosso único objetivo), poderia ser menos dramática, aliás, com o atual elenco, ainda há uma pequena esperança de fazer um pouquinho melhor na Copa do Brasil, muito mais pelo sistema de mata-mata, que pela qualidade do elenco. Vamos aguardar.

Abraços e excelente semana a todos.