terça-feira, 22 de abril de 2014

Campeonato Brasileiro, 1ª rodada: Vasco 1 x 1 América-MG

Amigos, desculpem a demora, mas agora o blog está em dia:

Primeira rodada do Brasileirão, depois de perder o estadual (roubado), uma classificação desgastante na Copa do Brasil lá em Manaus, e o primeiro jogo da série B justamente com os portões fechados. Clima de amistoso total!

Mas deixo-vos com o comentário de nosso técnico:

- Não achei que o primeiro tempo foi ruim. Controlamos o jogo. No segundo, fizemos o gol e depois tivemos muitas dificuldades. Erramos domínios, passes, a transição... Erramos muito - disse, na análise do jogo, realizado com portões fechados. - Não teve nervosismo com juiz, torcida... Teve a questão técnica mesmo. Não conseguimos dominar, passar, driblar... A questão física pesou um pouco, a semana foi dura. O adversário jogou fechado, vamos relevar algumas coisas, mas sabemos que precisamos melhorar.

É um comentário no mínimo esquisito de Adilson. Várias vezes o Vasco jogou mal este ano, vezes por culpa de ninguém, vezes por sua culpa, e justamente num momento onde o desgaste físico é grande, os desfalques foram muitos, (Rodrigo, Guiñazu, Pedro Ken, Bernardo e Edmílson não jogaram), e jogando sem torcida, ele resolve criticar a equipe.

Certamente precisamos melhorar Adilson. Já se foram 19 jogos de estadual e mais alguma coisa, e ainda precisamos melhorar, não chegamos na série B com um time pronto, que possamos escalar de cabeça. Para piorar, um jogador que vinha fazendo a diferença, Éverton Costa, sofre um mal súbito após ser substituído contra o Resende, e não deve voltar ao futebol em 2014 pois sofre de um problema cardíaco. É tudo que precisávamos!

E com as eleições dobrando a esquina, cada dia surgem notícias de algum calote do Vasco, e jogadores com dívidas enroladas se apressam para entrar na justiça, antes que essa administração saia.

Comecinho complicado.

Copa do Brasil – Vasco 1 x 0 Resende

Num momento meio que conturbado em que vive nosso Vasco, valeu pelo avanço na Copa do Brasil. O jogo em si, foi uma pelada de dar dó.

Após perda do titulo estadual, ficamos apreensivos sobre o futebol que o Vasco levaria a campo. Desnecessário, mas, como de costume, nosso técnico entrou com 03 volantes, abrindo mão de um atacante, apesar da necessidade de vitória, pois o placar de zero levaria para os pênaltis e poderia nos tirar precocemente da Copa do Brasil.

O jogo estava morno, mas poderia ter sido bem melhor, não fosse a arbitragem (sempre ela), ter anulado mais um gol legitimo do Vasco. Agora, não importa o local, nem tampouco o adversário, o Vasco é roubado ao vivo e a cores para que todo mundo possa ver. Já ficou chato essa historia...

Se o primeiro tempo foi de dar sono, o segundo não foi diferente. Parece-me que os jogadores tinham em mente que a qualquer momento poderiam decidir a parada em favor do Vasco, talvez muito pela falta de técnica do adversário, que, a bem da verdade, veio para empatar em São Januário, e, de preferência, marcando gol...

O grande problema do Vasco atualmente, é não liquidar logo a fatura em quase todos os jogos, principalmente quando sai na frente no placar. Quando não recua, costumeiramente tira os pés do acelerador e se acomoda em campo. No titulo carioca, apesar de ser escandalosamente lesado, bem que o Vasco poderia ter decidido desde cedo a parada, após marcar primeiro, mas preferiu se preservar um pouco. Na Copa do Brasil, o gol na casa do adversário vale ouro, com isso, um gol do Resende poderia mudar nosso destino no torneio. Vamos em frente.

Repito, pelas circunstancias, está de bom tamanho, e nosso próximo adversário será o Treze de Campina Grande-PB, um adversário um pouco melhor que o Resende, mas que pode perfeitamente ser eliminado no jogo de ida. O Vasco precisa jogar como Vasco...

Abraços e um excelente feriado a todos.

Em tempo, num jogo chato, o gol só poderia ser mesmo de bola parada.

Ps. Parabéns torcida vascaína, você provou que é diferente de todas as outras. Primeiro, lotou a Arena Manaus (40 mil), depois, foi maior no jogo final do fatídico Carioca (aplaudiu de pé o time), ontem, compareceu e prestigiou o time em São Januário. Por isso, sou Vasco. Podem roubar a vontade, vou continuar Vasco...

segunda-feira, 14 de abril de 2014

"Cariocão" 2014, segudo jogo da final. Vasco 1 x 1 (Sóquenão) Flamengo


Não é a primeira vez que somos roubados, mas nessa, sinceramente, estou até de saco cheio de futebol. 

Do que adianta ficarmos aqui falando sobre o imponderável jogo de bola.... se ele não é tão imponderável assim?  É um jogo de cartas marcadas, já dizemos isto a um bom tempo, mas dessa vez, fico até contente que tenha terminado dessa forma. 

No duro! Eu não trocaria o resultado desse jogo, por uma vitória do Vasco. Não levamos o carioca, que pouco importa, mas ficou registrado de maneira inequívoca, clara, e inquestionável, como as coisas "funcionam" aqui no campeonato da FFERJ. Um gol ilegal aos 45 do segundo tempo deu o caneco pro time "deles". 

Portanto que ninguém nunca mais duvide de como " é a coisa". Está aí para todo mundo ver. Só não fica mais comprovado, porque os envolvidos não vão admitir a culpa!

Nessa trajetória tivemos:

- Um gol mal anulado de Douglas em cima deles, não validado pelo Rodrigo Castanheiras, que virou até fantasia de Carnaval. 

- Gol impedido de Fred no jogo seguinte, um Vasco X Fluminense, já pelas semi-finais.

- Cartão amarelo por simulação que não houve de Éverton Costa, que culminou numa expulsão. ( Expulsão essa que poderia ter sido impedida pelo Adilson Batista)

- Uma semana de tensão, onde a mulher do árbitro afirmou com todas as letras, apesar de Vascaína, que o "vice era certo" ( O que será que ela já sabia?), coisa que, em qualquer lugar que se leve o futebol a sério, seria motivo de investigação, e imediata substituição por outro profissional.

- E ontem, um gol MUITO impedido, 69cm para ser exato, que não foi denunciado por um bandeirinha que; era o mesmo do fatídico gol de falta do Douglas ( apesar do auxiliar de linha ter levado a culpa), e o mesmo que, já auxilio o Flamengo duas vezes antes disso; http://globoesporte.globo.com/platb/meiodecampo/2014/04/13/nao-foi-a-primeira-vez/

Eu ia falar pra caramba de toda essa sacanagem que está acontecendo, mas não vou. No lugar disso vou colocar aqui um vídeo que exprime bem meu pensamento ( diálogo de um jornalista Flamenguista, por sinal) do Mauro Cézar Pereira, da ESPN Brasil, e um trecho do juíz da partida, em entrevista concedida ao jornal Extra:



--


"O que achou de o goleiro Felipe ter dito que "roubado é mais gostoso"?
Não quero falar sobre o Felipe, nem nenhum jogador. Não vou criar polêmica. Mas eu te digo que a nossa sociedade está doente. Estamos numa sociedade doente. Você, como jornalista, vê isso todo dia. Mas cada um que dê conta da sua frase.




quarta-feira, 9 de abril de 2014

Tensão

A arbitragem do último jogo foi tão frouxa, que os dois presidentes foram à zona de imprensa com o intuito de reclamar.

A diferença é que a reclamação do Dinamite é fundada, e a do Eduardo Bandeira de Melo, é estratégica, com o intuito de botar pressão no árbitro a não favorecer o Vasco.

Porque ele não tem motivos para reclamar...

O Gol vascaíno não teve falta no goleiro P%$#@ nenhuma. O goleiro não é intocável. Na pequena área, ele não pode ser IMPEDIDO de se mover, mas o adversário não é obrigado a sair da frente dele. O Éverton Costa estava ali, malandramente, para complicar a vida dele sim. Mas infração, não houve. O Felipe sai, esbarra no atacante vascaíno, que não faz nenhuma menção de impedi-lo, e caça borboletas. Não tivesse o Éverton Costa ali, todos iam dizer que o Felipe saiu mal, atrasado, no ponto onde esperava que a bola passasse, e não se precipitou ao Rodrigo.

A tal "simulação" do Éverton Costa, não foi simulação coisa alguma. Tá aqui a prova:


O contato acontece, como fica claro. Portanto não só o cartão amarelo foi mal aplicado, como não foi marcado o pênalti a nosso favor. Novidade? Nenhuma.

Sobre os agarrões dentro da área, muito me surpreende que o Flamengo esteja reclamando. O André Rocha puxa a camisa de Sammir, com a bola parada, e é punido justamente com o amarelo. Situação que não aconteceu com o próprio Sammir, quando faz o mesmo com Rodrigo logo depois. A única diferença foi a camisa, e que desta vez a bola estava em jogo.

E para completar o circo, a FFERJ define que o próximo jogo será arbitrado por Marcelo de Lima Henrique, reconhecido flamenguista. Precisa disso? Não há um árbitro não-flamenguista, que não tenha já sido envolvido em polêmica em título do Flamengo (sobre o Botafogo) para escolher? precisam criar um motivo para reclamação? 

Domingo que vem, se por acaso acontece um lance em que o Marcelo erre honestamente, a favor do Flamengo, o que você acha que vai acontecer? 

E para completar, a esposa do juiz, que não tem merda nenhuma a ver com a história, e mais do que nunca, deveria estar calada e não criando mais pressão para cima dpo marido, se envolve em confusão no Facebook com torcedores vascaínos. Diz que o "Vice é certo".

Hummmmmm.... o que será que ela sabe, que nós não sabemos? "O vice é certo" ? No futebol um precisa perder para o outro ganhar, mas sendo a senhora esposa d cara que vai mandar no jogo, me parece que ela está sabendo muito. 

Agora qual é a tranquilidade para esse cara arbitrar? É polêmica a semana toda, e para completar a esposa faz isso. Mesmo que ele não estivesse disposto a roubar o Vasco, quem me garante que ele agora não vai tomar as dores da "patroa" e resolver fuder o Vasco, para ajudar o "mengão" dele a conquistar mais uma taça no apito amigo?



segunda-feira, 7 de abril de 2014

Cariocão 2014, final: Primeiro jogo, Vasco 1 x 1 Flamengo.

Por Nildeval Stein:

No primeiro jogo da decisão, tudo terminou empatado. A vantagem continua sendo do Flamengo. No jogo de hoje, o Vasco poderia ter revertido a vantagem. Teve chances, saiu na frente, fez um ótimo primeiro tempo, mas não soube usar de malandragem.

Vou viver 200 anos e jamais conseguirei entender a cabeça de um técnico de futebol. Aplicado e bem armado em campo, o Vasco foi bem superior no primeiro tempo, mas, assim como aconteceu no jogo contra a Unimed, os jogadores do Flamengo tentaram apitar o jogo.

Qualquer amador teria sacado o Everton Costa do jogo. Ao fazer falta para cartão amarelo logo no início do segundo tempo, sem ser advertido pelo árbitro, estava mais que claro, ao fazer nova falta (prá cartão ou não), o juizinho iria expulsa-lo. Ninguém, eu disse ninguém tem chances contra esta corja, muito menos o Vasco. Somente nosso técnico não viu o óbvio.

Quer dizer, o Everton Costa, que vem jogando bem os últimos jogos, e que estava bem no jogo de hoje, embora muito nervoso, ao ser expulso, praticamente matou todo o esquema tático do Vasco. Ainda, além dos quase 40 minutos em que prejudicou o time, está fora do jogo final.

Resumindo, o Vasco precisa repensar as decisões contra o maior rival. Perder a cabeça, escalar errado, demorar em substituir, etc, tem custado muito caro ao Gigante da Colina.

O Vasco começou pressionando o Flamengo e conseguiu o gol logo aos 11 minutos, numa cabeçada do zagueiro Rodrigo. O adversário vinha de uma maratona cansativa, poupando alguns titulares e parecia entregue em campo. Mais ousadia e o jogo estaria nas mãos. Com a expulsão do Everton Costa, o panorama mudou e, quem parecia entregue em campo era o Vasco. A retranca estava armada e somente num contra-ataque (pouco provável), ou num lance de bola parada poderia sair um gol. Passamos a depender do Felipe Bastos ou mesmo do Bernardo, que entrou aos 42 minutos (para mim, uma falta de respeito com o atleta).

O jogo estava todo a nosso favor. Agora, vamos para o desespero. Com o Flamengo já definido na Libertadores, o jogo final está muito mais difícil. A vantagem poderia mudar de lado. Achei os jogadores do Vasco muito nervosos, claro, algo normal para uma final. Porém, é preciso trabalhar a cabeça de cada atleta. Embora o Adilson tenha errado, nosso jogador fez uma falta desnecessária. Não vale a pena lamentar a arbitragem. Quando nosso zagueiro tirou a camisa do atleta adversário antes de uma cobrança de falta, não houve qualquer hesitação do juiz em aplicar o amarelo. Logo em seguida, o Felipe Bastos quase teve a camisa arrancada dentro da pequena área e o mesmo juiz fingiu não viu. Podem conferir...

Semana difícil e de muito trabalho no Vasco. Além do substituto do Everton Costa, será preciso trabalhar muito a parte física dos considerados titulares. Bom sempre lembrar que o Flamengo novamente terá um jogo complicado no meio de semana e o desgaste será bem maior. Portanto, ainda dá tempo, basta trabalhar neste que será novamente o jogo mais importante da temporada.

Prá terminar, a mídia(sempre esperta), trabalha tentando colocar na cabeça (principalmente dos vascaínos), algo mais ou menos assim. "Se o Vasco não ganhar desta vez, não ganha nunca mais". Quer dizer, em caso de fracasso do adversário, a justificativa já está dada.

Abraços e excelente semana...

domingo, 6 de abril de 2014

Copa do Brasil – Vasco 0 x 0 Resende

Amigos, mais um post com demora, que tenho certeza que vocês entenderão.

 

O Vasco emprestou seu nome, torcida e prestígio para levar ao Amazonas uma partida de futebol em que comparecessem mais de 5 mil pessoas, público comum do clássico local.

Enchemos o estádio, a torcida do Vasco, que ao contrário de certos times é em todo país, compareceu e fez grande festa…

…mas não foi presenteada com uma bela partida.

Já sabíamos que era o time reserva que jogaria. Afinal de contas, estamos na decisão do Estadual depois de muitos anos, e contra “eles”, aquela turma que come atum e arrota caviar. Portanto nada mais justo. Eu faria a mesma coisa, encarar o Resende não precisa do time titular, os reservas já bastavam, e só não saímos com a vitória por uma falta de sorte e de pontaria.

Mas não vale a pena falar muito desse jogo. Apenas que mais uma vez, tivemos que aturar o Diogo Silva nos dando sustos, e não tivemos a oportunidade de ver o Jordi. Que Lorran surpreendeu, assim como Marquinhos. E nada mais. Que o jogo da volta é no Rio e me chamem de mico de circo, se o Vasco não vencer.

O que vale a pena falar é que, da renda de dois milhões de reais, o Vasco não levou nada. Foram taxas disso, daquilo, pra federação Amazonense (ok) e do Rio ( HÃN?!), e nem mesmo as passagens de avião, os amazonenses queriam pagar. Mas acabaram pagando, porque time nenhum iria se deslocar tanto para estrear um estádio de graça. Sobre as acusações de nosso Vice-presidente à arbitragem, prefiro não falar nada. Acho que ele poderia pensar isso, mas deveria ter guardado as especulações, porque daqui a pouco vamos ser taxados de chorões. Não houve nenhum lance crítico com erro da arbitragem para reclamar.

Vale a pena dizer que, mais uma vez, a camisa da Penalty demonstra a falta de qualidade do material:

20140403-2122-1-_mini

Ok, camisas rasgam, mas quantas vezes isso já aconteceu com a camisa da Penalty?

É notável que a Penalty anda pouco se lixando para o Vasco, e a torcida vascaína gosta menos ainda dela, com seus preços no nível de Nike por um produto inferior, seus silks que descolam, costuras que se desfazem, etc. Por isso, muito me impressiona que o Vasco anda negociando com esta empresa para renovar um contrato que já é meia-boca. Se o dinheiro dos royalties só chega ao clube se a camisa vender, e a camisa pouco vende porque é cara, ruim, e feia… como pode o Vasco esperar retorno?

Já passo da hora do Vasco procurar uma empresa à altura de nossa história, ao invés de ficar esperando ela bater à porta, assim como fez nesse jogo, estampando o logo da Caixa atrás da camisa, numa tentativa de fazer ver à Caixa que vale a pena uma extensão da parceria.

E por falar em parceria, mais de um ano se foi desde que a Eletrobrás não é mais a nossa, mas no ginásio do Forninho ainda tem o logotipo da empresa bem grande na parede, assim como nos uniformes de basquete. Aliás, o fornecimento de uniformes para tudo no Vasco, a não ser o time principal (AHAM, MENTIRA) é falha e lenta.

E por falar em parceria outra vez, a rede de supermercados Mundial, que a anos ajudava o Vasco com uma cota de alimentos no valor (patético) de 10 mil reais mensais, cortou a mesma sem maiores explicações. (mais sobre isto AQUI). Com as eleições na esquina, você acredita que o motivo é outro?

E já que estamos falando de novidades, saibam que Felipe decidiu mesmo parar de jogar oficialmente. nenhum clube do Rio o queria, e ele não queria ir pra fora do Rio, ficar longe do futevôlei e do restaurante, que são o que lhe importa. Felipe, obrigado pelos serviços prestados, e bem-haja.

segunda-feira, 31 de março de 2014

Cariocão, segund jogo da Semi-Final. Vasco 1 x 0 Fluminense

Amigos, em primeiro lugar desculpem a falta de post sobre o jogo anterior, mas compromissos profissionais tanto de minha parte como da do Nildeval nos impediram de o fazer.

Vamos lá, eu vou falar pouco sobre o jogo e deixar o grosso pro Nildeval (no bom sentido!) :

Em primeiro lugar, quero salientar que, claro que em certo ponto o Vasco começou a jogar de maneira cautelosa porque tinha a vantagem. Mas a maior parte do tempo, o Vasco jogou como VASCO. O primeiro tempo terminou com 61% de posse de bola para o gigante da colina. Isso apenas mostra que, aquele meu pensamento sobre a posse de bola e ofensividade serem a melhor maneira de IMPEDIR gols, é verdade.

A palavra do Nildeval:

VASCO 1 X 0 FLUMINENSE

Depois de um longo jejum, principalmente no Carioca, disputaremos mais uma final. Critico ferrenho de uma retranca imposta pelo Vasco até aqui, mais especificamente nos jogos em que sai na frente no placar, devo destacar, primeiramente, a postura ofensiva da equipe de Adilson Batista. Claro, precisando da vitória, não tinha mesmo outra alternativa, mas, mesmo após o gol, em nenhum momento o time se acovardou.

Um primeiro tempo fraco tecnicamente, com pequena vantagem para o time da Colina, que soube se comportar em campo, principalmente no sistema defensivo. O jogo foi de muita pegada na primeira etapa, com o Vasco fazendo muitas faltas (na maioria sem violência), e com o Fluminense apostando em sua principais estrelas, que, prá falar a verdade, foram totalmente anuladas pela boa defesa do Vasco.

Um ponto que se tornou cansativo neste espaço, mas que ainda vale lembrar é o fato do Vasco ter acertado na contratação do goleiro Martin Silva. Sempre seguro, além das ótimas defesas, foi corajoso ao evitar gol certo do artilheiro tricolor, ao sair com estilo do gol e de uma maneira sensacional, provocar os aplausos da torcida vascaína. Aliás, Amigos, a torcida realmente está cada dia mais se afastando dos estádios. Hoje, para um clássico, em pleno domingo de futebol, menos de 20 mil torcedores compareceram a arena mais conhecida do planeta. A bem da verdade, este foi o total de torcedores, os pagantes, foram em número bem menor...

O Vasco merecidamente saiu na frente do placar ainda no primeiro tempo com o agora artilheiro isolado Edmilson, que, aliás, jogou muito hoje. Com a vantagem revertida, coube ao Fluminense a tarefa de partir prá cima na etapa final. E foi exatamente o que aconteceu. O Renato Gaúcho colocou em campo mais 02 atacantes e o Flu ficou mais aberto. Muito embora não tenha perdido gols feitos, o Vasco poderia e deveria ter liquidado logo a fatura. Foram inúmeras chances em contra-ataques que foram desperdiçados. Quer dizer, se o empate vem no segundo tempo, ficaria muito difícil para o Vasco buscar a vitória.

O atacante Everton Costa, que finalmente teve uma boa atuação com a camisa vascaína, numa jogada magistral, poderia ter fechado o caixão tricolor aos 40 minutos da segunda etapa. Era só servir o companheiro sozinho na pequena área, mas, ao optar pela consagração, quase colocou a classificação a perder. Ao final, Meus Bons e Fiéis Amigos, a vitória veio, com apenas 01 gol, mas veio. O momento é de planejamento. A estréia na Copa do Brasil acontecerá em Manaus, numa quinta-feira. O Flamengo decide, na quarta-feira, seu destino na Libertadores. Se perder, vai vir com tudo no Carioca, prá salvar o ano e ludibriar sua torcida e seus protegidos (esta história nós já conhecemos a fundo). Empatando ou vencendo, pegará mais leve no estadual. Quer dizer, ao Vasco, cabe administrar a situação, ou seja, dependendo, no primeiro jogo, o Vasco poderá abrir grande vantagem. Aguardemos.

Uma excelente semana a todos.

terça-feira, 25 de março de 2014

Cariocão 13ª rodada, Vasco 4 x 0 Duque de Caxias

Por Nildeval Sten:

Pode-se dizer que houve de tudo neste domingo de futebol. Em São Januário, gol relâmpago e um dos mais rápidos da historia do futebol. O Fluminense, nosso próximo adversário, também ganhou da fraca equipe do Volta Redonda, o Flamengo passou fácil pela Cabofriense e, pateticamente comemorou a Taça Guanabara. Claro Amigos, o grande jogo do domingo foi mesmo Real Madrid x Barcelona em que foram assinalados 07 gols.

Um campeonato que será marcado pela ausência da torcida e pelo fraco desempenho das equipes consideradas grandes, que, prá falar a verdade, mostram, a cada jogo, um futebol digno das peladas que se vêem pelos diversos campos do pais. Quer seja na Libertadores, Copa do Brasil ou Campeonato Carioca, está difícil de se ver um futebol de primeira categoria. Com isso, quero crer que, a partir do segundo tempo de Vasco x Duque de Caxias, cada um de vocês, com certeza, deu pelo menos umas 02 ou 03 espiadinhas no grande jogo de domingo.

O Vasco deu um passeio no Duque de Caxias, além do gol relâmpago, ainda teve um golaço do Edmilson que poderá se tornar o goleador do campeonato. Com o Flamengo quase eliminado da Libertadores e o Fluminense da Copa do Brasil, não resta duvidas de que ambos darão o máximo para conquistar o Carioca 20l4, uma espécie de consolo pelos fracassos apresentados até aqui. O Vasco poderia estar em situação mais cômoda, disputando as semifinais contra a Cabofriense, e depois jogando as finais com vantagem.  Mas, no momento, isso não interessa. Agora, o melhor será bater o Fluminense e fazer a final com o Flamengo.

Parece pouco, e é. Mas, se pararmos para meditar um pouquinho, chegaremos 'a conclusão de que dificilmente enfrentaremos estas duas equipes durante o ano, salvo, se todas as peças  fizerem boas campanhas na Copa do Brasil, contudo, pelo futebol que os três tem praticado na temporada...

Incrível como a detentora do campeonato carioca consegue exibir um jogo tão medíocre na quarta-feira e deixa um clássico para a quinta.  Aliás, a toda poderosa exibiu os 04 jogos do Flamengo na Libertadores e nenhum do Botafogo. Imaginem a cara dela quando o excelente Flamengo cair diante do Emelec. Pobre Botafogo...

Vai começar prá valer o Carioca. Ficamos combinados assim: Eliminamos a Unimed já na quinta-feira (se o poderoso Horizonte fez 03, Edmilson e Cia tem cacife para fazer uns 05, basta querer) e depois reeditamos mais uma final contra o Urubu, desta feita, para calar a boca de quem aparecer pela frente. Futebol por futebol, o Vasco tem plenas condições de chegar lá. Aguardemos.

Abraços e até quinta.

Ps: Obrigado Bellini.

quinta-feira, 20 de março de 2014

Cariocão 12ª rodada, Vasco 1 x 1 Fluminense.

Mais uma vez o Vasco joga bem, tem mais posse de bola, chuta mais em gol, sai na frente…. e cede o empate.
Agora fica difícil conseguir a segunda colocação para entrar nas semis com a vantagem do empate, e conhecendo o relaxamento histórico do Vasco nestas situações, quiçá é até melhor assim.
Agora... e o gol do Flu? Tudo bem que o impedimento é por muito pouco, mas é incrível como, em clássicos, a arbitragem acerta lances dificílimos contra o Vasco, e erra lances banais a nosso favor.
O árbitro cego, afinal não era cego. Então fica a pergunta; se ele passou em todos os exames, o problema dele não foi físico, foi mental ou simplesmente falta de vontade em apontar o que viu. Das duas maneiras deveria ser afastado, mas não, ja voltou a trabalhar, e como já sabíamos, acabou tudo EM PIZZA. E o Vasco? O Vasco que se F....

Mas o que eu quero mesmo falar é sobre a briga entre as organizadas fora do Maracanã. A Pior desde sua reinauguração.
Já encheu o saco! Por causa da Força Jovem e da confusão no Paraná, o Vasco perdeu vários mandos de campo, e ainda terá que jogar outros compromissos sem torcida. É claro, a torcida do Atlético iniciou a confusão, mas essa foi fruto de uma semana de atritos. Será que sem a Força Jovem no estádio, a briga teria acontecido?
Por causa de torcidas como a Força Jovem, as famílias não vão aos Estádios. Eu não sinto segurança em levar minha mulher e filhos à São Januário, ou mesmo ao Maracanã, porque sempre há o risco de sermos pegos no meio da confusão, senão dentro, fora dos estádios.
Não se enganem. Esse pessoal não é torcedor. Torcedor sou eu e você, que compramos os produtos, vamos aos estádio com ingressos comprados e não doados, e incentivamos nossos jogadores a base do grito, não da intimidação e violência como a Força Jovem fez na reta final da campanha de 2013.
Portanto, a Força Jovem é um câncer para o Vasco. É algo que na arquibancada oferece apoio, e fora dela só cria confusão e prejuízos. E apoio, qualquer vascaíno dá, não precisa ser “organizado”.
Vivemos um momento de muita violência dos estádios, e o único jeito de acabar com estas brigas, que causam milhões em prejuízo aos clubes e às suas imagens, e que afastam as pessoas dos estádios, é a de acabar imediatamente com qualquer apoio dos clubes às torcidas. Cortar o cordão umbilical que sustenta essa cambada, e a polícia e o ministério público começarem a punir seriamente os brigões, não a torcida. A “torcida” não tem rosto. Não adianta punir a Força Jovem, se os caras vestem a camisa de outras torcidas ou mesmo uma qualquer e entram nos estádios de qualquer maneira. Chegaria a ser cômico, se não fosse trágico.

quinta-feira, 13 de março de 2014

Cariocão 11ª rodada, Vasco 1 x 1 Bonsucesso

Amigos, desculpem a demora. Minha situação não anda fácil!

Para ser breve, fico preocupado em ver o Vasco, contra o Bonsucesso, muito mais fraco que os adversários que virão pela frente na série B, consegue perder aquela quantidade de gols.

E novamente, tomamos um gol bobo.

 

A palavra do Nildeval:

 

A classificação estava nas mãos e o Vasco a deixou escapar. Na verdade, apenas adiou, pois, somente uma catástrofe para nos tirar da próxima fase.

Dito isto, fica sempre aquela preocupação em relação ao nosso Vasco. Hoje, o time jogou bem, criou e perdeu chances incríveis, poderia liquidar a fatura ainda na primeira etapa. No inicio da partida, com muita chuva, dava a impressão que o jogo poderia ser prejudicado, mas, ao contrário, foi um jogo interessante. Houve reclamação por um penal não marcado (na minha opinião não houve), e o placar poderia ter sido outro.

Mais uma vez, fica a impressão que o Vasco ainda não está preparado para partidas mais importantes ou que decidam alguma coisa. Nossa comissão técnica insiste em remar contra a maré, poupando (de que?) alguns jogadores de jogos decisivos, lançando outros na fogueira e confundindo o torcedor vascaíno, que fica sem saber qual é o time titular do Vasco.

Um primeiro tempo totalmente dominado pelo Vasco, que, apesar disso, a melhor chance foi exatamente do Bonsucesso, numa bola milagrosamente tirada pelo Diego Renan em cima da linha. Não consigo entender e aceitar uma derrota ou mesmo um empate em pleno São Januário para uma equipe que faz figuração (nada mais que isso) no campeonato.

Podemos até dar um desconto em virtude das fortes chuvas que encharcaram o gramado e também as boas defesas do goleiro do Bonsucesso, porém, deixar a classificação antecipada escapar da ponta dos dedos é no mínimo preocupante para nossa já tão sofrida torcida.

Para muitos, no gol do Bonsucesso a bola era defensável, pode ser, mas, além do chute forte, com o gramado alagado, parece-me que o montinho artilheiro ajudou um pouco. No geral, o Diogo Silva foi bem e vai merecendo ser nossa segunda opção na temporada.

Não se pode exigir que o artilheiro marque em todos os jogos. O Edmilson perdeu 02 gols incríveis, mas continua fazendo boas tabelas com o Reginaldo e, assim que o Adilson abrir o olho (se der tempo), poderá também aproveitar melhor o Tales, pelo menos um tempo inteiro de jogo. Ao entrar, o garoto deu uma movimentação totalmente diferente ao ataque vascaíno, inclusive o passe para o gol de empate do lateral Marlon.

Podemos até conseguir a classificação para a próxima fase já no fechamento da rodada, contando, claro, com alguns resultados. A classificação (nosso maior objetivo) dificilmente escapará de nossas mãos, mas, contudo, todavia, nossa confiança na equipe vascaína, deve demorar um pouquinho mais.

Abraços.