segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Carioca 2016, primeira rodada; Vasco 4 x 1 Madureira



Por Nildeval Sten:


Saudade de vocês, Amigos. Primeiramente, desejo a cada vascaíno espalhado pelos quatro cantos do planeta um ano muito feliz, de muitas realizações pessoais. Será um ano difícil para o Vasco. Claro, não me refiro ao jogo de hoje.



Como é bom ver o Vasco começando a temporada com goleada, muito embora, tenhamos que admitir que o adversário praticamente não ofereceu resistência. Deve-se também levar em consideração o valor e/ou importância da competição. Ninguém nega que os estaduais, com raras exceções, só engrenam mesmo na segunda e decisiva fase.



O Vasco conseguiu manter os principais jogadores do ano anterior, não que eles sejam lá estas coisas, mas, entrosados, tudo indica que dará para o gasto, não só no estadual, como também na Copa do Brasil e principalmente na luta pela reconquista da elite do futebol brasileiro.



A torcida mostrou mais uma vez que não interessa a divisão, ou mesmo o campeonato em disputa, ela sempre comparece e dá show. Hoje, os jogadores, apesar do calor e a volta das férias, dentro do possível, deram show, destaque para o quase ídolo Nenê (que bom que ele renovou), e o tão criticado Riascos, que, ao fazer seus gols, comemora de maneira descontraída e leva aquela alegria, não só aos companheiros, mas principalmente à torcida.



É muito cedo para se fazer projeções, porém, como disse, este elenco dá pro gasto. Sempre bom lembrar que tanto o Flamengo quanto o Fluminense, sofreram muito na primeira rodada, principalmente o Fluminense, que tomou de 03 do Volta Redonda.



Sem descanso, no meio de semana, já teremos nova rodada. Muito bom ver novamente o Vasco em ação. Muito bom interagir com vocês.



Abraços e excelente semana.

terça-feira, 22 de dezembro de 2015

O nome disso é planejamento. SQN #2




Podem falar o que quiserem, mas todos os anos o campeonato brasileiro revela talento, às vezes onde você menos espera. Se não revelamos mais craques todo ano, sempre há bons jogadores em times pequenos por aí.

Um exemplo é o Yago Pikachu, que eu ouço a dois ou três anos que vai para o time A, time B, e acabou aqui no Vasco. 

Eu me arrisco dizer que é uma das melhores cotratações do Vasco nos últimos tempos. Lateral rápido, habilidoso, com faro de gol e que chuta com as duas pernas. Num futebol onde cruzar é cada vez menos importante, Pikachu pode evoluir no Vasco e se tornar um Raichu lateral de respeito. OU, se perder na noitada do Rio e virar mais uma ex-promessa como o Bernardo, que graças à Deus, já não tem contrato com o Vasco.

Mas, contudo, entretanto, todavia, lateral por lateral tínhamos um Madson, que se não é nenhuma Coca-Cola, ao menos era uma Sendas cola - dá pro gasto. Pra série B, tava bom demais. O mesmo não podemos dizer do meio pra frente com exceção de Nenê, que toda entrevista que dá me passa a mesma sensação; "vou ficar no Vasco porque sou obrigado por contrato, mas o que eu queria mesmo era ir pro Corinthians/Palmeiras/Galo/São Paulo".

As revelações do campeonato, em 2016, já estarão acertadas com outros times. Túlio de Melo da Chape, por exemplo, acertou com o Sport (que também levou Serginho e Cristiano do Vasco, e o primeiro fará falta).

O Vasco, ou melhor; Eurico, contudo, diz que a Copa do Brasil será a Série A do Vasco ano que vem, e eu queria saber com que time ele acha que vamos vencê-la. Querer usar bastante a base é uma estratégia que eu bato palmas, desde que isso seja feito com coerência, paciência, e estratégia, não jogando os moleques aos lobos. A série B pode ser fraca tecnicamente, mas é ainda mais disputada que a série A, e apostar que os "garotos" vão estar suficientemente maduros não só para disputa-la, mas como vencer uma Copa do Brasil... me parece ilusão. A menos que tenhamos um Neymar na base e não saibamos!

O que eu sei é que a base está cheia de garotos com potencial, mas entra ano e sai ano, o Vasco é RIDÍCULO em campeonatos de base, com uma exceção aqui e ali, geralmente em categorias mais jovens. Matheus Pet, Evander, Andrey, Kayser, Richard, Gabriel Félix, Índio... não vejo aí nenhum salvador da pátria - uns porque não são isso tudo, e outros porque podem vir a ser, mas ainda não. 

Então no reino dos Miranda a coisa está sendo cozida em Banho-Maria, enquanto no resto do mundo todos trabalham incessantemente para se reforçar. Alguns vão dizer que a permanência de Nenê, Zinho e Jorginho foram as melhores contratações do Vasco, e eu concordo...mas ainda é pouco. Para o Vasco, é pouco.




quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

O nome disso é planejamento. SQN

Já que o Eurico assumiu a culpa, como faria Homer Simpson, ele a deu pra quem quis.

Sobrou para Dinamite, mas também para o departamento de futebol, que nunma tacada só, perdeu todo mundo menos Jorginho, Zinho e Valdir Bigode, que é eleitor do "omi". Até o preparador de goleiros Flávio Tênius, que chegou esse ano mesmo cheio de pompa, parece ter rodado e vai ser substituído pelo preparador da base, que é "fechamento" do Álvaro Miranda.

Paulo Angioni, que tinha a mesma função no Vasco do que cabelo no saco (nenhuma), foi demitido por Euriquinho, e o Zé do Táxi, que agora tem um documento assinado pelo Vasco lhe devendo 8 milhões por sua vez, se afastou do cargo de Vice de futebol porque ficou "bolado" com o reinado dos Miranda no Vasco. Eurico, que tem vocação nata pra ditador, claro, não colocou outro vice de futebol no lugar, porque no Vasco, quem contrata é ele, segundo o próprio, porque afinal é ele quem paga.

Então eu te pergunto; Que fará o ex-ex-funcionário Isaías Tinoco, que fez parte do mesmo departamento de futebol que ano passado contratou 34 jogadores, sendo que 16 atuaram em menos de de 10 jogos e 7 dos quais nem mesmo vestiram a camisa do Vasco, após ter abandonado a barca para assumir um Cruzeiro que em três meses demitiu-o? O que ele vai fazer eu não sei, mas sei porque está lá; É "de confiança" dos Miranda. Leia-se; não se mete nas "parada".

É tudo muito consufo no Vasco, e ao mesmo tempo, tudo muito simples, só depende da sua ótica; Ou você olha por uma ótica de um clube sério, onde nada do que está contecendo no Vasco faz sentido, ou você olha por uma ótica de quem conhece a Ditadura/Dinastia Miranda à vários carnavais e nada disso é novidade.

O Vasco é uma comcubina que só atende à família Miranda. Pais e filhos.

Ou, para colocar em contexto atual; O Eurico é o Leo, o Vasco é o corno, quem votou no Eurico é a Fabíola, Zé do Táxi é o cameramen, e a torcida do Vasco é a Saveiro.


segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

E agora, José?



Quando a série B do ano passado acabou, eu disse aqui que; era preciso fazer uma faxina no elenco e se qualificar para 2015 porque camisa não ganha mais nada, o campeonato é cada vez mais equilibrado na parte de baixo da tabela e desequilibrado na parte de cima.


Não estava falando besteira, porque dos quatro rebaixados este ano, três subiram ano passado e caíram imediatamente; Avaí, Vasco e Joinville.


Não vou fazer um post enorme sobre os motivos que nos fizeram cair. Não vou enumerar erros da direção nem os acertos (que houveram também), vou apenas comentar o seguinte:


Com essa é a terceira. No intervalo que o Vasco foi e voltou da série B, times muito menores permaneceram na série A, como a Chape, a Ponte, e o Sport que esse ano até liderar essa bagaça liderou, com um elenco que também não é nada especial, apesar de contar com alguns jogadores talentosos e outros que decidiram sair do marasmo.


Se a Chape, a Ponte e o Sport podem, o Vasco, que é muito maior, também pode. Se esses times podem montar elencos razoáveis e com o trabalho sério fazer um campeonato digno, o Vasco tem isso por obrigação.


Portanto, não vou aqui sentar e aceitar livremente que " A responsabilidade é só minha (Eurico), mas a culpa é do Dinamite" porque assim como foi em 2008, o Vasco caiu pelos problemas que um deixou e o outro criou. 


Se no campo das finanças eu bato palma por ter pago 14 meses de salários e mais 4 milhões de impostos atrasados, por outro eu tenho de meter o malho em contratar um técnico medíocre como Celso Roth. O Vasco caiu não pelo seu segundo turno, mas pelo primeiro. Se chegamos ontem com esperanças de nos safar, é graças à peças que chegaram tarde demais; Jorginho e Nenê.


Então o Vasco vai jogar uma série B outra vez, e o torcedor vai atrás outra vez. Vamos fazer a nossa parte, contando que a diretoria finalmente entenda que futebol não se faz apenas de dinheiro, mas principalmente de trabalho sério (que não inclui contratar jogador de compadre) criatividade, boas ideias e planejamento. 

O sentimento não pára, mas a humilhação tem que acabar.





Campeonato brasileiro, 38ª rodada; Vasco 0 x 0 Coritiba



Por Nildeval Sten:


E o que mais temíamos aconteceu. O Vasco tentou de varias maneiras, lutou muito, o gramado não ajudou, ainda mais para um time envelhecido, foi duramente prejudicado, em mais um pênalti escandaloso, mas ao final, acabou sendo rebaixado. Faltou apenas uma vitória.


Um rebaixamento é terrível para qualquer equipe. Perde-se receitas, bons patrocinadores se afastam, perde-se credibilidade, dentre outras coisas. O pior de tudo, porem, é ter que suportar a gozação dos adversários, sobretudo pelas circunstâncias em que o rebaixamento ocorreu.


O Vasco mereceu. É difícil engolir uma campanha tão ordinária do primeiro turno. Como pode você fazer 19 jogos, com 57 pontos em jogo e ao final somar míseros 13 pontos? Por mais que uma equipe reaja, com campanha de G-4 no segundo turno, fica mesmo impossível chegar lá. Fácil concluir que o Vasco caiu desde o primeiro turno. Nem preciso falar das 04 derrotas seguidas do segundo turno. Uma lástima.


Os motivos da queda são vários, todos eles ditos aqui durante o ano. O Vasco paga o alto preço de uma administração ultrapassada, sobretudo, voltada para os interesses individuais. O Vasco está sempre em segundo plano.


Equipes de menor expressão se dão bem por agirem com sabedoria. São aquelas equipes que estão lá somente para fazer o trivial. Por exemplo, o mando de campo é sagrado. O velho dever de casa tem que ser muito bem feito. Geralmente, as grandes equipes encontram muitas dificuldades de ganhar destas equipes menores, mesmo com suas principais estrelas. Em nenhum momento, o Vasco assustou.


Pensando assim, o torcedor vascaíno fica se perguntando se não seria mais fácil o Vasco lutar por seus direitos, fazendo de São Januário sua casa, ao invés de propiciar uma briga judicial sem sentido pelo lado direito do maracanã, ao invés de dar ao adversário motivos para suar sangue, além de beneficiá-lo com um campo neutro? Pense bem!!!


Estranhamente o jogo foi levado para o Engenhâo, onde, a maioria absoluta de nossos jogadores nem conhecia, tanto que ficaram perdidos os 90 minutos. Porque não promover uma campanha para lotar o outro lado do Maracanã, pois, naquele momento, tudo que nossos atletas precisavam era de incentivo? (e claro, somente de mais 01 vitória).


Porque São Januário não pode ser a casa do Vasco e a final da Copa do Brasil pode ser realizada sem problemas na Vila Belmiro?


O futebol carioca está ficando para trás, à medida que equipes são formadas no decorrer do campeonato. Este ano, por exemplo, por ser o campeão carioca, o Vasco não investiu, achou que daria certo entrar com esta mesma equipe. O castigo veio cedo, perdemos pontos preciosos e não aprendemos. Demitimos o técnico e mais uma vez o mandatário fez prevalecer a sua vontade contratando o pior técnico do Brasil.


Depois, quando já era tarde, o Vasco partiu para o desespero, contratando quem aparecesse pela frente, vindo jogadores caros e velhos. Lógico, sempre existe as exceções, dentre elas, o meia atacante Nenê, mas não resolveu. Deu esperanças, mas foi só... Podem ir lá e perguntar o mandatário. Tenho certeza que a resposta vai ser esta: “Eu não entro em campo”.


O Vasco ainda corre seríssimos riscos. Vamos lá. Primeiro ano da atual administração: Rebaixamento; segundo ano: volta do Vasco à elite; terceiro ano: noivas eleições. E quem estará lá novamente concorrendo? Continuamos Vasco, mas tá difícil.


Sobre o jogo, não há muito o que falar. Campo pesado, time envelhecido, cansado e um gramado impraticável para o futebol. O Vasco até criou umas 02 ou 03 chances, mas em nenhum momento esteve fora do Z-4. Garfado, mais uma vez, ficou impossível mudar o seu quadro.


O ano de 2016 será difícil, chato, com jogos sem o menor interesse. Esperamos um 2017 diferente. Bom mesmo é que para enfrentarmos os Luverdenses e Cearás da vida não será preciso investir tanto, mesmo porque, em tempos de crise, não gastar será mais importante que qualquer coisa.


Ótimo final de ano a cada um de vocês. Obrigado Gabriel pela confiança. Obrigado Amigos pelo apoio e o carinho de cada um de vocês. Ao nosso Vasco tudo.

segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Campeonato brasileiro 37ª rodada; Vasco 1 x 0 Santos (ou; O sentimento não pára)

Um dos maiores times do Brasil está na zona do rebaixamento à duas rodadas do fim, passou o ano todo ali, chove canivetes à ponto de alagar campo, vestiário e adjacências e o time é obrigado à passar no meio da arquibancada para entrar em campo.


É a receita do desastre! Em qualquer time isso ia virar um "corredor polonês"...


Mas, o Vasco não é qualquer time, não é qualquer clube, nem tem qualquer torcida. A torcida do Vasco pode ser omissa e submissa às vezes, e em muitas outras é simplesmente fantástica. Sempre que o Vasco precisa, está lá. O que poderia ser um fator ruim, virou um fator de motivação; a torcida cercou o time entrando em campo...para apoiar. Cantaram, incentivaram, mostraram que "estamos com vocês".


Eu chorei, É uma imagem que mostra o amor do torcedor por esse clube, e a compreensão que esses camaradas estão entregando tudo que tem e mais um pouco para fugir do rebaixamento.


O segundo turno do Vasco foi incrível. Teve percalços sim, mas desde a chegada do Jorginho, aliada à forma de alguns jogadores que chegaram com o time na lanterna, principalmente Nenê, chegamos na última rodada com chances de sair,algo quase impensável, e nos últimos 14 jogos, para colocarmos em perspectiva, perdemos apenas para Fluminense....que por ironia do destino, pode decretar nosseo rebaixamento.


É extremamente difícil. Improvável. Muito provavelmente segunda que vem estaremos aqui falando sobre a série B, mas curiosamente, o vascaíno é o único torcedor carioca orgulhosa do seu time no momento.



A palavra do Nildeval:


O Vasco conquistou mais uma vitória e milagrosamente adiou para a última rodada sua situação. Ainda assim, não foi suficiente para sair do Z-4, ao contrario, precisa bater o Coritiba, torcer por uma combinação improvável de resultados e ver no que vai dar. A rodada não foi favorável. Quando foi, o Vasco não aproveitou, por exemplo, na rodada em que perdeu para o Fluminense.


Hoje, faltando apenas mais uma rodada, o Vasco sente na pele o que uma vitória poderia fazer diferença, a rigor, apenas 01 ponto já ajudaria. Aqueles pontos desperdiçados diante dos clubes que estão imediatamente à sua frente poderiam dar aquela tranqüilidade. Foram muitas oportunidades jogadas no lixo e que agora praticamente definirão uma quase inevitável queda do Vasco.


O Vasco não depende somente dele, aliás, para um time que está no Z-4 desde a quarta rodada, até que está de bom tamanho. O Vasco passou mais de 90 por cento do campeonato na zona de rebaixamento, um fator horrendo para um clube de tanta tradição. Os erros de arbitragem foram vários, mas o Vasco não fez por onde.


O sábado começou com a derrota do Figueirense para o São Paulo no ultimo lance do jogo, que foi dramático, quando tudo levava para uma certeira vitória do Figueirense. Apesar da vitória do Avaí sobre a Ponte Preta, os vascaínos ainda foram dormir tranquilos, já que o jogo que mais interessava era mesmo o do Coritiba.


Fico imaginando o porquê do Palmeiras nem colocar o time reserva em campo, ao contrario, colocou 05 jogadores sub-20, tornando a missão do Coritiba bem mais fácil. O Palmeiras, lógico, virou presa fácil. Não consigo entender também porque os reservas do Santos se empenharam tanto diante do Vasco e facilitaram tanto no jogo anterior, diante do Coritiba? Não acham estranho? Mesmo assim, Amigos, o Vasco teve inúmeras chances de sair do Z-4. A mais incrível, foi a derrota para o próprio Coritiba, nos acréscimos, em pelo São Januário. Não dá para acreditar...


Com o futebol apresentado nas últimas rodadas, o Vasco não merece cair para a série B. Acontece que os erros do primeiro turno e principalmente os erros apresentados diante dos times pequenos estão fazendo a diferença agora. Chegar à rodada final dependendo do time reserva do Fluminense é pedir para cair, salvo se pintar a famosa mala preta. Se jogar metade do que jogou diante do São Paulo, o Figueirense ganha de goleada.


Apesar do time totalmente reserva, quem esperava um jogo fácil diante do Santos, quebrou a cara. Os meninos da Vila, querendo mostrar serviço, partiram prá cima do Vasco e por pouco não abriram o placar. O Vasco, mais uma vez, precisou do bom desempenho do seu principal e desgastado jogador para, num lance individual, sofrer o penal (chorado), bater e converter. Que diferença faria o Nenê se tivesse no Vasco desde o início. Um bom planejamento faz toda a diferença. Será preciso pensar só no Vasco. Quem tem entrado na diretoria, não tem correspondido. Não é possível um terceiro rebaixamento para aprender a lição...


Nitidamente cansado nos últimos jogos, principalmente na segunda etapa, com um campo encharcado, o Vasco simplesmente não jogou no segundo tempo e teve em Martin Silva seu principal jogador. Foram várias defesas milagrosas, seguras. Além disso, ainda levou o cartão amarelo, por reter por muito tempo a bola do jogo. Fosse outro goleiro, não chegaríamos vivos na ultima rodada.


Chegar à rodada final dependendo do maior desafeto parece mesmo fatal. Será preciso muita fé, calma, sorte, sei lá mais o quê. Verdade é que o mais otimista dos vascaínos espalhados pela face da terra está com a pulga atrás da orelha. Como gostaríamos de permanecer na elite. Arbitro, dirigentes, jogadores ruins, são muitos os culpados e muitas as lamentações. Continuamos Vasco, mas está difícil. Mais uma semana de apreensão, sofrimento. Vamos lá.

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Campeonato brasileiro, 36ª rodada; Vasco 2 x 1 Joinvile

Por Nildeval Sten:


O Vasco se mantem vivo. Bem verdade que respira por aparelhos. A cada rodada, a esperança aumenta. O saldo devedor é grande. O Vasco não perde, marca pontos (ou ponto), a cada partida e mesmo assim, continua na zona de rebaixamento. Faltando apenas 02 rodadas, estamos a 03 pontos do primeiro fora do Z-4. Será preciso um milagre.



A rodada foi quase perfeita, exceto pela vitória do Coritiba pelo desinteressado Santos. Atenção. Se o Coritiba e o Figueirense ganharem na próxima rodada, o Vasco já estará rebaixado. O Coritiba pega o time reserva do Palmeiras, fora de casa. Já o Figueirense, terá uma missão um pouco mais difícil, quando enfrentará um São Paulo ainda brigando pelo G-4 e mordido pela vexaminosa goleada sofrida pelos reservas do Corinthians. (por que cargas d água ninguém coloca time reserva para enfrentar o Vasco?).



A situação agora é dramática e o Vasco tem que vencer o Santos de qualquer maneira. Muita calma nesta hora. Além de vencer, claro, tem que torcer muito pelo tropeço das equipes acima citadas. E olha que nem estou preocupado com o Avaí, que, apesar de estar 01 ponto a nossa frente, enfrentará o Corinthians, fora de casa, na ultima rodada. Quer dizer, haja marmelada se o Avaí tiver que vencer este jogo. Ainda existe a chance dele ganhar os 02 jogos restantes e também escapar do rebaixamento.



Claro Amigos, há varias situações que podem acontecer agora. O Vasco não depende somente dele. Primeiramente, vai entrar em campo no domingo, já sabendo de pelo menos 02 resultados, pois, os jogos do Figueirense e do Avaí estão marcados para o sábado. Em caso de empate ou vitória do São Paulo, o Vasco, além de ganhar do Santos, terá que torcer novamente para o Fluminense na ultima rodada (o Fluminense agora não corre mais qualquer risco). E, em caso de vitoria do Avaí sobre a Ponte Preta, o Vasco terá que torcer para o Corinthians na ultima rodada.



Outra situação, caso o Palmeiras vença ou empate com o Coritiba, o Vasco, vencendo o Santos, terá que vencer o Coritiba na ultima rodada, no confronto (ou decisão?), no Couto Pereira. De qualquer forma, o Vasco terá a difícil missão de vencer seus 02 jogos restantes. Tudo indica que a situação vascaína só se definirá na ultima rodada. Sofrimento a vista.



O Vasco começou o jogo de maneira arrasadora, lutando como se o jogo fosse uma decisão de campeonato. Com apenas 05 minutos, abriu o placar, num lindo gol de Nenê, que tem sido o ponto de equilíbrio do Vasco, e claro, nossa maior esperança.



Para ajudar, numa cobrança de tiro de meta do bom goleiro Martin Silva, a bola sobrou para Riascos, apenas 04 minutos depois, e o Vasco chegou ao seu segundo gol, com menos de 10 minutos. Parecia tudo tranquilo ate o final da primeira etapa.



Acontece que, ainda que minimamente, o Joinville ainda tinha uma pontinha de esperança de escapar. O Vasco passou a administrar o jogo e chamou o adversário para seu campo. Para mim, jogo ideal para o Rafael Silva puxar o contra ataque e matar de vez o jogo. Para o Jorginho não, viu o time recuar e somente fez alteração com o gol do adversário, faltando 10 minutos para o encerramento.



Estava desenhado o que seria o jogo nos minutos finais e o Vasco acabou dando muita sorte, pois, após o primeiro gol, o Marcelinho Paraíba perdeu um gol inacreditável, que teria novamente nos tirado 02 pontos preciosíssimos, como aconteceu por varias vezes no campeonato.



O ideal seria o Vasco estar com pelo menos 39 pontos e uma vitória a mais. Como isto não e possível, fica aqui nossa torcida por uma semana de tranquilidade e muito trabalho em São Januário. Perdemos o zagueiro Luan, mas teremos a volta do Rodrigo. Muita calma nesta hora. Acredito numa vitória tranquila do São Paulo sobre o Figueirense. Quanto ao jogo do Palmeiras, existe muita duvida. Mesmo que o Coritiba perca, o Vasco terá a difícil missão de ganhar em Curitiba. Por enquanto, o Vasco respira. Está difícil, não impossível. Abraços e excelente semana

domingo, 22 de novembro de 2015

Campeonato brasileiro, 35ª rodada; Vasco 1 x 1 Corinthians



Por Nildeval Sten:




O Vasco tentou, lutou e com 10 homens em campo na segunda etapa, conseguiu sair na frente, mas não foi capaz de suportar a pressão corintiana. A sina continua. Ficou muito mais difícil. A rodada, inacreditavelmente, foi desfavorável ao Vasco. Ninguém, da parte que briga no Z-4 perdeu ou mesmo empatou, todos ganharam. Ao Vasco, o resultado ideal seria a vitória. Pelas circunstancias, porem, uma derrota, seria o fim.



Este não era o jogo ideal para uma recuperação do Vasco. Mesmo que já viesse campeão, dificilmente o Corinthians entregaria o jogo. Para quem esperava que os 04 selecionáveis não jogassem, quebrou a cara. É o Vasco contra tudo e todos. O jogo começou nervoso, com poucas chances de gol, embora o Vasco estivesse melhor. O Rodrigo, desde o inicio, estava totalmente alterado, mostrando que sua expulsão estava mais que desenhada. A esta altura do campeonato, não quero e nem vou culpar mais quem quer que seja, não há mais espaço e nem dá mais tempo para lamurias.



O grande problema agora é a diferença do primeiro fora do Z-4, que, antes 02 pontos, aumentaram para 04 e faltando apenas mais 03 rodadas, ou seja, agora o Vasco tem que vencer os 03 jogos restantes, se ainda quiser ter um mínimo de chance. Também não adianta ficar aqui reclamando das diversas chances que o Vasco teve e que acabou enterrando todas. Agora é tudo ou nada. Empate ou derrota, rebaixa o Vasco.



O que ainda mantém o Vasco vivo é o fato de ele ter pontuado nos últimos 02 jogos. Assim sendo, vamos à próxima rodada.




Fluminense X Avaí – apesar de ter declarado abertamente a torcida pelo rebaixamento do Vasco, o Fluminense tem que tomar muito cuidado, pois se perder as 03 partidas restantes, ainda pode ser ultrapassado pelo grupo dos que estão abaixo. Outro detalhe, o jogo será em Vitória-ES e o torcedor, que vai pagar caro, não vai engolir uma derrota, em hipótese alguma. O Vasco tem que bater o Joinvile e ainda torcer desesperadamente pela derrota do Avaí;




Atlético-MG X Goiás – Mesmo perdendo o campeonato, o Galo quer manter a segunda colocação e, abatido, deve vencer e rebaixar o Goiás, que, mesmo com 01 ponto a frente do Vasco, não deve oferecer resistência;




Figueirense X Chapecoense – Uma vitória do Figueirense praticamente o livra do rebaixamento. Apesar de ser um clássico regional, após a vitória sobre o Internacional, a Chapecoense não corre mais qualquer risco de rebaixamento e deve ir a campo com um time reserva ou sem compromisso. Obs: Quando todos esperavam uma vitória fácil da Ponte Preta, o juiz marcou um pênalti inexistente e deu a vitoria ao Figueirense. Ninguém ajuda o Vasco;




Coritiba X Santos – O Coritiba está super animado após surpreendente vitória diante do Goiás fora de casa. Jogo pode ser fácil, pois o Santos está concentrado para a primeira partida da decisão da Copa do Brasil. Se ganhar, o Coxa complica ainda mais a nossa situação, mas ainda teremos o confronto direto com eles, portanto, um empate aqui não será tão ruim, muito embora, uma vitória do Santos seja o ideal.



Por tudo exposto, fácil concluir que nossa maior esperança está mesmo num possível tropeço do Avaí, pois dificilmente o Figueirense irá perder a chance de se livrar. Amigos, nem tudo está perdido, muito embora as chances do Vasco estejam cada vez mais difíceis. O que mais intriga a qualquer torcedor é o fato do Vasco estar jogando bem e, apesar de marcar pontos nos últimos jogos, não consegue sair do Z-4. Jogasse a metade do que está jogando atualmente no primeiro turno, certamente estaríamos brigando pelo G-4. Uma pena.



Vencer ou vencer, nossa única saída. Abraços. 

quinta-feira, 12 de novembro de 2015

Campeonato brasileiro, 34ª rodada; Vasco 2 x 0 Palmeiras



Por Nildeval Sten:


Uma vitória com “V” maiúsculo. Importantíssima para as pretensões vascaínas no restante do campeonato. Alguns tentaram descaracterizar o feito vascaíno alegando que o Palmeiras jogou muito mal e estava irreconhecível. Na verdade, o Vasco fez uma partida perfeita, sua melhor atuação no campeonato.


A missão continua. Uma tabela cruel com o Vasco, onde ainda enfrentará 02 paulistas que brigam pela parte de cima. A diferença para o primeiro time fora do Z-4 que chegou a 13 pontos, hoje, inacreditavelmente caiu para apenas 02. A vitória recolocou o Vasco na briga contra o rebaixamento. Não será tarefa fácil, porém possível.


A rodada começou favorecendo o Vasco já no sábado com as sofridas vitórias de Corinthians e Atlético Paranaense. Continuou no domingo com a derrota do Goiás e o empate do Joinvile. Apenas o resultado do Galo, que derrotou o Figueirense nos minutos finais talvez não tenha ajudado o Vasco, pois, um empate, além de segurar o Figueirense nos 37 pontos ainda permitiria que o Corinthians fosse campeão com 04 rodadas de antecedência e viesse para o Rio enfrentar o Vasco sem compromisso. Mas nem todos os resultados vão beneficiar o Vasco. A luta continua, seja ela diante de qualquer adversário.


O Vasco entrou em campo determinado. Começou pressionando o Palmeiras e teve as primeiras oportunidades de abrir o placar. Muito bem postado em campo e com atuações excelentes de Rafael Silva Riascos e Nenê, o gol era questão de tempo. Diferente dos jogos anteriores, nas melhores oportunidades o Vasco não desperdiçou, mais, fez o primeiro gol, buscou logo o segundo e apenas administrou o restante do jogo. Hoje, o Martin Silva teve pouco trabalho e nossos 02 melhores em campo também foram os autores dos gols.


Olhando sempre a próxima rodada, não resta dúvida de que a tarefa mais difícil será a do Vasco. O Corinthians virá determinado a ser campeão e será um adversário chato. Analisando o jogo diante do Coritiba, mesmo diante de sua torcida, o Corinthians mostrou que não é imbatível. Um pouquinho mais de capricho e o Coritiba poderia até sair vitorioso. Volto a repetir, ao Vasco, o próximo jogo é sempre o mais difícil, independente do adversário.


Analisando a próxima rodada dos jogos que interessam diretamente ao Vasco:


Goiás x Coritiba – Ambos estão à frente do Vasco com 01 ponto. O empate aqui será o melhor resultado. O fator casa pode beneficiar o Goiás, que abriria 04 pontos;

Avaí x Joinvile – Uma faca de dois gumes. Vitória do Avaí abriria novamente os temidos 05 pontos; vitória do Joinvile, daria moral para os próximos jogos e tornaria o confronto diante do Vasco muito mais difícil. O empate aqui seria o ideal;

Figueirense x Chapecoense – vitória da Chapecoense seria ideal.


Independente dos jogos acima e dos resultados, o Vasco continua precisando de pontos. Claro que o ideal seria conseguir 12 nos 04 jogos restantes, mas tudo vai depender de cada rodada e do interesse de cada equipe. Podemos, por exemplo, pegar o time do Santos desinteressado no campeonato e até o Coritiba já rebaixado. Cada jogo, uma história. A conferir. Abraços.

terça-feira, 3 de novembro de 2015

Campeonato brasileiro 33ª rodada; Vasco 0 x 1 bibas tricoletes


Por Nildeval Sten:


A rodada foi TODA favorável ao Vasco (exceção a surpreendente vitória do Goiás), porem, mais uma vez, o Vasco não soube aproveitar e está MUITO perto da segunda divisão. Uma defesa que parece uma mãe e um ataque de nervos.



Hoje, a atuação do Vasco foi de time pequeno e quando isso acontece, o resultado é sempre negativo. A vitória parecia certa, pois, o Fluminense jogou no meio de semana, mas quem parecia desgastado era justamente o Vasco. O folego vascaíno acabou.



Um sábado perfeito para o Vasco, onde, o Avaí, a quem o Vasco procura se aproximar, acabou somando apenas 01 ponto e deixou o Vasco numa situação privilegiada, pois, com a vitória, diminuiria para apenas 02 pontos a diferença. O Vasco ainda contou com o empate do Coritiba e Figueirense e a derrota do Joinvile.



Temos que ser sinceros. Na lanterna, com 05 pontos de diferença para o primeiro fora do Z-4, praticamente o Vasco selou seu destino no campeonato. A partir de agora, o Vasco terá somente jogos dificílimos pela frente e a falta de folego é real. Pela matemática ainda dá, mas pelo futebol...



Um primeiro tempo onde o Vasco finalizou tão somente 02 vezes, muito pouco para um time que entrou em campo com a missão de vencer. Novamente tomou o gol nos segundos finais da primeira etapa, mostrando sua principal deficiência em todo o campeonato, quando, na maioria dos jogos, ou levou gol relâmpago, ou nos finais das partidas.



O fluminense, melhor em campo e sem a obrigação de vencer, jogou apenas o suficiente para fazer o gol e se segurar no restante do jogo. No Vasco, praticamente nada funcionou. O único destaque foi novamente o Nenê, que caiu de produção na segunda etapa, dificultando ainda mais para o Vasco. O Júlio dos Santos continua sendo um inútil, alias, a maioria hoje foi inútil.



Com mais 15 pontos a serem disputados e com apenas 30, o Vasco não conseguirá nem chegar aos tão sonhados 46 pontos (considerados ideais para se livrar do rebaixamento). Como os times lá de baixo também não conseguem pontuar, tal como o Palmeiras no ano passado, de repente, 40 pontos podem ate salvar uma equipe. O maior problema do Vasco é o numero de vitorias, primeiro critério de desempate.



A missão do Vasco se torna ainda mais árdua à medida que tem pela frente o Palmeiras, brigando pelo G-4 (este sim seria um jogo que o empate ajudaria) e nada mais nada menos que o líder e cada vez mais campeão Corinthians, além do Santos. Uma tabela cruel com o Gigante da Colina.



Pra terminar, a mesma ladainha de sempre. O Vasco continua pagando um alto preço pelo péssimo primeiro turno. O torcedor estava meio desconfiado após 09 rodadas invicto, percebia-se que o time dava sinais de queda e nos vários empates seguidos o Vasco não vinha bem. Nas circunstancias atuais, uma vitória era tudo que o Vasco precisava, uma vitória somente, que poderia ter vindo nos diversos jogos fáceis que o Vasco teve e não soube aproveitar.



Uma excelente semana a todos.



ps. Contra tudo e contra todos. Por que não jogar no Maracanã? Levar um jogo para um estádio desconhecido da maioria dos jogadores por birra de dirigente me pareceu idiotice. Os maiores problemas do Vasco estão em casa. Lamentável.